Aumenta o número de cirurgias bariátricas no Brasil em 2015

Apenas no ano de 2015 cerca de 93,5 mil pessoas fizeram a cirurgia para redução de estômago no Brasil. Este número representa um crescimento de 6,25% se comparados ao mesmo período de 2014, quando 88 mil pessoas haviam passado pelo procedimento.

Os dados estão no mais novo balanço da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), divulgados nesta semana. O aumento no número de procedimentos para redução de estômago pode estar relacionado ao crescente número de obesos no Brasil e também as novas regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) para realização de cirurgia bariátrica. O Conselho ampliou de seis para 21 o número de doenças associadas à obesidade e que podem levar a indicação da cirurgia bariátrica.

“Existem fatores positivos e negativos neste crescimento. O fator negativo é que a alimentação dos brasileiros está mudando para pior. Vemos um aumento no consumo de produtos altamente calóricos e ricos em gordura, sal e açúcar e, ao mesmo tempo, ocorre a queda na prática de atividade física devido escolha cada vez maior por atividades sedentárias” afirma o cirurgião bariátrico e especialista em obesidade, Caetano Marchesini. “Por outro lado, a mudança nas regras para realização da cirurgia bariátrica trouxe maior segurança para que o paciente obtenha o tratamento adequado ao seu problema”, completa o cirurgião.

Para ele, o crescimento no número de cirurgias bariátricas está diretamente relacionado ao aumento no número de obesos no Brasil.

“O ritmo de crescimento da obesidade e das doenças associadas exercem uma forte pressão sobre o Sistema Único da Saúde, afeta a produtividade das empresas, o desempenho escolar e o desenvolvimento econômico do país, ” alerta Marchesini.

No entanto, ele explica que a cirurgia bariátrica apresenta índices superiores a 90% de melhora em quadros de diabetes, asma e incontinência urinária, hipertensão, doenças do refluxo gástrico e a apneia do sono. “Isso faz com que a busca por este tratamento aumente cada vez mais”, relata o cirurgião.

Mudança de hábitos – A dona de casa Daniela do Rocio Alves, de 36 anos, fez a cirurgia bariátrica há apenas cinco meses. Ela pesava 120 quilos e estava com problemas de saúde devido ao excesso de peso.

“Já perdi quase 30 quilos e a minha vida mudou muito e para melhor. Faço academia todos os dias e tenho sentido diariamente os resultados positivos da cirurgia para o meu corpo e para a cabeça também”, relatou Daniela. A meta da dona de casa é perder mais 30 quilos nos próximos meses.

Fatores e causas – A obesidade é considerada uma doença crônica caracterizada pelo excesso de gordura no organismo com desproporção na distribuição da gordura pelo corpo.

O sobrepeso é estabelecido quando o índice de massa corporal (IMC), relação entre peso e altura, é de 25 até 29,9. A partir de 30 de IMC a pessoa é considerada obesa. O IMC é calculado dividindo o peso pela altura elevada ao quadrado.

A obesidade tem causa multifatorial, envolvendo questões biológicas, econômicas, sociais, políticas e culturais. Mas a principal causa costuma ser o desequilíbrio entre o consumo de alimentos e o gasto de calorias. (cerestb@gmail.com)

ce072060-9ba9-4450-a797-861e9163610f

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.