Canoísta paranaense busca vaga para ir às Olimpíadas

Roberto MaehlerUm dos destaques da canoagem brasileira, o atleta cascavelense Roberto Maehler, está na luta por uma vaga na Olimpíada do Rio de Janeiro. Para chegar ao objetivo de representar o Brasil pela primeira vez numa edição dos jogos, ele encara em maio, nos Estados Unidos, o Campeonato Pan Americano. Será a última chance de confirmar sua participação nos jogos. Disputará as categorias K1 1000 (caiaque individual) e K2 1000 (caiaque para duas pessoas), na distância de mil metros. Aos 31 anos, Maehler traz no currículo três medalhas em Jogos Pan-Americanos – ouro, prata e bronze. Treinando pesado junto com a Seleção Brasileira de Canoagem, no Setor Náutico do Parque Iguaçu, ele introduziu em sua preparação, há três meses, a prática do DeRose Method.

De duas a três vezes por semana, à noite, após a pesada rotina de treinamentos, ele pratica o DeRose Method na Unidade Bom Retiro, com supervisão da diretora da escola, a instrutora Luciane Ogata. Apesar do pouco tempo, Maehler conta que já sentiu efeitos positivos. “Há 17 anos pratico a canoagem e sempre busco novas técnicas para me aperfeiçoar de alguma forma. Desde que comecei a praticar o DeRose Method, já senti ganhos em flexibilidade e na respiração”.

Conforme Luciane Ogata, o foco das práticas que orienta ao atleta é alcançar a alta peformance. “Treinar o Maehler é na verdade um grande aprendizado pois de fato ele já um atleta completo, focado e determinado. Nos nossos treinamentos buscamos alguns diferenciais competitivos como técnicas de concentração e exercícios respiratórios que dão mais resistência e explosão, além de maior capacidade de gerenciamento emocional”, conta Ogata.

Esta é a terceira vez que Maehler busca uma vaga para competir em uma Olimpíada. No ano de 2008, problemas de saúde o impediram de seguir em frente nas competições. Na segunda tentativa, quatro anos depois, não se qualificou por menos de 1 segundo. Por outro lado, ele fez história nos jogos Pan-Americanos. Conquistou três medalhas, todas na categoria K4 1000 (modalidade de velocidade praticada em embarcação para 4 atletas, em distância de mil metros). Em 2007, no Rio de Janeiro, junto com os colegas de equipe Guto Campos, Sebastian Cuattrin e Edson da Silva, conquistou nada menos que uma medalha de Ouro para o país. Nos Jogos de 2011, em Guadalajara, obteve o bronze e em 2015, no Pan sediado em Toronto, ganhou uma medalha de Prata.

Por conta das proximidades do Campeonato Pan-Americano de Canoagem 2016, o atleta vive dias intensos. Ele conta que tem grandes expectativas em obter a qualificação olímpica neste campeonato. O próximo passo é trabalhar duro para chegar ao pódio. “Acredito que é possível uma medalha para o Brasil e estamos treinando muito para isso”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.