Cansaço excessivo pode indicar que a saúde não vai bem

O cansaço é uma das queixas cada vez mais frequentes de quem procura um consultório médico, sendo comum na vida das pessoas que possuem uma rotina corrida, sem muito tempo para descanso, ou lazer. Mas se mesmo com um sono reparador ele persiste, pode indicar que o motivo não é apenas a falta de tempo para descansar.

De acordo com o Clínico Geral do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), Dr. Heitor Lagos, sentir-se sempre cansado não é normal. “A sensação de cansaço que persiste por duas a três semanas ou que se repete todo mês deve ser motivo para procurar um profissional médico”, orienta.

Segundo o especialista, o cansaço constante é um sinal de desequilíbrio do organismo que pode interferir na qualidade de vida. “Pode afetar o sistema imunológico, causar alterações emocionais, do sono, apetite e afetar o desempenho físico e intelectual, além da produtividade”, comenta o médico. Além disso, pode estar relacionado a uma série de problemas de saúde. “As principais doenças relacionadas com o cansaço são depressão, anemia, hipotireoidismo e outros distúrbios endocrinológicos como diabetes, insônia, distúrbios reumáticos, hepatopatias, doenças renais, pulmonares e insuficiência cardíaca”, complementa.

Quando se preocupar

Ao identificar o cansaço frequente é aconselhado observar se existem outros sintomas associados e buscar auxílio médico para iniciar o tratamento adequado. Na consulta médica o médico fará uma pesquisa através de uma investigação para definir a causa que está por trás deste sintoma. “Os exames geralmente necessários para investigar são exames de laboratório como hemograma, teste de glicemia, de função hepática, renal e tireoide”, explica Dr. Heitor.

O cansaço que não tenha como causa uma doença pode ser prevenido através de bons hábitos de vida. “Sono adequado, alimentação saudável, evitando a obesidade, e a prática física regular ”, orienta o médico. O uso de vitaminas e suplementos podem ajudar desde que se afaste as doenças citadas.

Síndrome da Fadiga Crônica

Pouco conhecida e com sintomas pouco específicos a fadiga crônica segundo o especialista é um quadro de difícil diagnóstico. É uma doença cruel e debilitante, que provoca dores intensas, cansaço constante, infecções recorrentes, insônia, desânimo distúrbios gastrointestinais e incapacidade de executar as tarefas mais básicas do dia a dia. Como a doença apresenta sintomas que se aplicam também a outras enfermidades, o diagnóstico definitivo é feito por eliminação.

É necessário confirmar o que o paciente não tem uma lista de diversas doenças, como anemia, insuficiência cardíaca, fibromialgia, depressão, câncer ou qualquer outra condição que tenha como sintoma a fraqueza e o cansaço. “Recomenda-se muita cautela aos pacientes e médicos para antes que se rotule alguém como tendo este quadro”, diz Dr. Heitor. “Em geral o tratamento deste quadro passa pelo uso de antidepressivos com ações nos neurotransmissores e mudanças de estilo de vida com prática de atividade física, psicoterapia e meditação”, explica. (imprensa@hnsg.org.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.