Foz do Iguaçu sediará 1º Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa

Foz do Iguaçu aposta no termalismo para atrair outro tipo de turista, aquele que procura unir o lazer aos cuidados com a saúde e a beleza. Uma das primeiras iniciativas para se firmar ainda mais nesta área é a realização do 1º Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa, um evento que acontecerá em paralelo à 11ª edição do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu, nos dias 15, 16 e 17 de junho, no Rafain Expocenter. O lançamento do Salão ocorreu nesta terça-feira (15), no Porto Kattamaram, um dos atrativos do Complexo Turístico Itaipu.

O 1º Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa contará com um espaço de mil metros quadrados e capacidade para 50 estandes, destinado à exposição de destinos termais e para empresas que produzem equipamentos para Spas. O salão terá ainda outros eventos, já confirmados, como a apresentação da 16ª Feira Internacional de Turismo Termal – Termatalia, que será entre 29 de setembro e 1º de outubro, no México. Foz do Iguaçu é candidata a sediar a edição de 2018.

Termatalia 2018

A apresentação reuniu representantes da Termatalia na Espanha, Brasil e Argentina, do trade turístico de Foz do Iguaçu e até de destinos termais brasileiros, como Poços de Caldas. Ao lançar o evento, o superintendente de Comunicação Social da Itaipu e vice-presidente do Fundo Iguaçu, Gilmar Piolla, disse que o Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa é “um ensaio para Foz do Iguaçu sediar a Feira Internacional de Turismo Termal, Saúde e Bem-Estar, a Termatalia 2018”, que ele confia que a cidade vai conquistar. “A Gestão Integrada tem como compromisso trazer esse evento”, afirmou.

O diretor geral da Expourense e da Termatalia, o espanhol Alejandro Rubin Carballo, confirmou a parceria para a organização do evento em Foz do Iguaçu. Será a primeira vez que o Brasil receberá o maior evento mundial de termalismo. Segundo ele, Foz do Iguaçu, que já é um destino das águas, com um meio ambiente sustentável, está no caminho certo ao investir no termalismo. “O turista do futuro busca justamente locais de meio ambiente sustentável, que oferecem também benefícios à saúde das pessoas”, disse.

Apoio federal

A Embratur e o Ministério do Turismo, representados no lançamento, vão apoiar a realização do Salão e também se comprometeram em “trazer a Foz o maior evento termal do mundo”, como disse Júnior Coimbra, secretário nacional de Políticas do Turismo. Ele disse que “o turismo é a esperança de recuperação da economia do Brasil”.

O vice-presidente da OMTh – Organização Mundial de Termalismo, Fábio Tadeu Lazzerini, disse que a “diversidade das águas” de Foz do Iguaçu e região pode trazer “muito mais benefícios sociais”, com a exploração do turismo termal. O Aquífero Guarani, por suas características, exemplificou, tem água que “pode ser vendida a R$ 50 o litro”. Ele lembrou que o turismo, no mundo, começou justamente com a busca de “fontes milagrosas”, que nada mais são do que as águas para tratamento da saúde e para o bem-estar.

O coordenador do Festival de Turismo das Cataratas, Paulo Angeli, disse que “o termalismo é uma atividade de relevância e é a nossa vocação”. E afirmou: “Não sei por que não tínhamos pensado nisso antes. Estamos atrasados e precisamos recuperar o tempo perdido”.

Além da feira e da apresentação da Termatalia 2016, o 1º Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa também terá na programação uma conferência sobre o código de águas minerais e termais, que está em tramitação no Congresso Nacional, e um minicurso, voltado para docentes, que será ministrado por especialistas do termalismo.

Destino termal

A região de Foz do Iguaçu, turística por excelência, tem também, naturalmente, a vocação de destino termal, porque está assentada sobre o Aquífero Guarani, a maior reserva subterrânea de água doce do mundo. As águas do aquífero, ricas em sais minerais e outros elementos, têm propriedades medicinais e terapêuticas e já são aproveitadas para o turismo do bem-estar e da saúde.

Em Foz, pelo menos dois hotéis aproveitam os benefícios das águas termais – o Recanto Cataratas e o Mabu Thermas Resort. Em Itaipulândia, a 70 km de Foz, o Parque Aquático Termal Lago de Itaipu utiliza as águas para o lazer e investe numa infraestrutura para atender o turista que busca as águas termais pelas propriedades terapêuticas. Também lançou uma linha de cosméticos à base de água termal.

O 1º Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa tem o apoio da Gestão Integrada do Turismo de Foz do Iguaçu, da Itaipu Binacional, Iguassu Convention & Visitors Bureau, Sindihotéis, Fundo Iguaçu e Prefeitura de Foz do Iguaçu. O evento acontecerá também em parceria com a Organização Mundial de Termalismo (OMTh), Associação Latino-Americana de Termalismo (ALATh) e com a Feira Internacional de Turismo Termal, Saúde e Bem-Estar, a Termatalia.

O mercado do termalismo

Estima-se que a indústria de Spa (do latim “Sanitas Per Aquas”, ou saúde pela água), que envolve terapias e técnicas de cura e bem-estar complementares (como naturopatias), conte com mais de 50 mil centros, resorts de saúde, estâncias e balneários. Este setor atende mais de 4 bilhões de pessoas, emprega 15 milhões e movimenta por ano mais de US$ 250 bilhões. Só os Spas do segmento das fontes hidrominerais ou termais movimentam anualmente cifras que ultrapassam US$ 50 bilhões.

A Organização Mundial da Saúde considera a hidroterapia ou termalismo como medicina tradicional, além de medicina alternativa complementar, desde 2000. No Brasil, o termalismo social ou crenoterapia é reconhecido pelo Ministério da Saúde como prática medicinal integrativa e complementar (PIC – Portaria MS 971/2006). O Ministério das Minas e Energia relaciona o termalismo à balneoterapia, crenologia ou medicina hidrológica, além da indústria de água mineral engarrafada e energia geotérmica.

Já o Ministério do Turismo classifica o termalismo como segmento temático da saúde e bem-estar, descrito desde 1992 como relacionado à visitação a centro medicinais e de terapias naturais em estações de tratamento (estâncias climáticas, hidrominerais ou balneares). Esses locais representam, atualmente, o quarto principal motivo de visitação (10% do total) dentre todos segmentos turístico nacionais.

O mercado brasileiro de Spas possui receita anual superior à R$ 370 milhões, com aumento de 10% ao ano, em mais de mil estabelecimentos, que empregam mais de 8.700 terapeutas no País. Os principais interesses pelas atividades de Spa, especificam-se ao bem-estar, relaxamento, beleza, estética, alimentação, banhos e saunas.

20160315NR2811

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.