Ortopedista do Graças fala sobre a importância do tênis adequado para a prática de corrida

Para quem não está acostumado, parece ser loucura levantar da cama cedo e sair correndo alguns quilômetros por aí. Entretanto, para quem pratica a corrida, além de ser uma atividade considerada “viciante”, a lista de benefícios para a saúde é imensa – faz bem para o coração, emagrece, diminui a pressão sanguínea, melhora a qualidade do sono, entre outros.

Não é à toa que cada vez aumentam o número de adeptos a esta atividade. E o melhor, não é necessário ter muita estrutura nem investimento para praticar. Basta colocar uma roupa confortável e calçar um tênis apropriado. “Dessa forma, a atividade esportiva pode ser realizada com mais conforto e segurança e assim trazer todos os benefícios inerentes ao esporte”, destaca o ortopedista do Hospital Nossa Senhora das Graças, Dr. Luiz Fernando Bonaroski.

Isso quer dizer que o tênis para a prática do exercício não deve ser usado somente pela aparência, mas deve proporcionar estabilidade, amortecimento e conforto durante o exercício – evitando que o movimentos repetitivos ocasionem problemas ortopédicos – durante e até mesmo após a atividade física.

Tipos de pisadas

Outro ponto importante é buscar reconhecer qual é o tipo de pisada, pois cada pessoa pode ter uma diferente. Reconhecê-la pode evitar vícios de postura, lesões nos tornozelos, joelhos e na coluna.

Segundo o ortopedista, existem basicamente três tipos de pisadas – neutra, supinada (apoio maior sob a borda externa do pé) e pronada (apoio maior sob a borda interna do pé). “Na pronada há maior necessidade que o tênis proporcione mais estabilidade aos pés, pois se trata de um pé com maior frouxidão ligamentar”, orienta o ortopedista. “Já nas pisadas neutra e supinada, há necessidade de maior conforto, já que são pés mais estáveis por natureza”, complementa.

O tipo de pisada pode ser identificado por uma avaliação especializada com profissional da área por um exame físico. “Uma outra forma é através do tipo de desgaste do tênis. Algumas lojas especializadas possuem dispositivos com esse objetivo. Em casos mais específicos, pode ser utilizado um exame que se chama baropodometria”, explica o ortopedista.

O médico explica que de maneira geral, os tênis são elaborados para atender essa demanda, porém com a alta tecnologia envolvida, alguns modelos servem para qualquer pisada. “Todos os tênis de corrida possuem algum tipo de sistema de amortecimento. Nas pisadas neutra e supinada,o amortecedor precisa ser um pouco mais efetivo”, orienta o médico.

Em relação a adaptação de um tipo de tênis, o especialista diz que pode variar de pessoa para pessoa. “Mas é fundamental escolher um modelo adequado para corrida e ter orientação de profissionais nessa escolha”, diz.

Outro cuidado que deve ser observado é quanto ao desgaste do tênis. “Após um certo tempo de uso , que vai variar de acordo com a quantidade que é utilizado, o tênis tem que ser trocado com uma certa frequência pois à medida que vai gastando, ele vai perdendo suas características de conforto e estabilidade”, orienta Dr.Bonaroski.

No caso de corridas em esteiras, o médico recomenda utilizar um modelo mais leve de tênis, pois a esteira já promove uma certa absorção do impacto. (imprensa@hnsg.org.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.