Simulador de direção veicular torna aprendizado mais seguro e completo

Para construir um trânsito mais seguro e humano, a Mobilis – empresa especializada em soluções tecnológicas para segurança no trânsito -, lança uma linha de simuladores de direção veicular. De cunho pedagógico, o produto reproduz situações adversas sem sujeitar a riscos os candidatos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH), na categoria B. Com maior controle do processo, o aluno tem a oportunidade de se preparar melhor.

Para embasar essa preparação, o ambiente controlado e multissensorial auxilia na avaliação das posturas do aluno frente a condições climáticas pouco favoráveis, como chuva e neblina. “É possível ainda projetar rodovias, vias rurais e estradas não pavimentadas, além de criar incidentes impraticáveis durante as aulas convencionais, como aquaplanagem, animais na pista e travessia inesperada de pedestres”, complementa o Gerente de Negócios da Mobilis, Jobel Araújo.

De acordo com ele, outro aspecto que prepara melhor o aluno, sobretudo para os primeiros anos de habilitação, é o desenvolvimento de habilidades sensoriais e motoras. “Experimentar virtualmente uma situação de perigo prepara o condutor para que ele sempre avalie os riscos de acidentes durante a condução de um veículo”, destaca.

Por meio de um monitor, o equipamento exibe ainda, em tempo real, as infrações de trânsito que, porventura, tenham sido cometidas pelo candidato, as quais, ao final de cada aula, serão relacionadas às transcrições do dispositivo legal previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). “Isso permite ao instrutor acompanhar o desempenho do aluno e preparar aulas personalizadas com um feedback mais preciso das habilidades que precisam ser aprimoradas”, explica o gerente.

Consciente das próprias limitações, o condutor que passa pela formação com o simulador tende a deixar de compor as estatísticas de fobia de direção, que conforme artigo publicado na revista Ciência Hoje, atinge uma média de 8% da população mundial. “O primeiro contato menos estressante com o veículo é essencial para tornar esse momento mais agradável de maneira geral”, avalia Araújo.

Os benefícios do uso do simulador, contudo, não se restringem à formação do aluno. “Por ser elétrico, o simulador diminui os impactos ambientais derivados da emissão de gases poluentes”, sublinha o gerente.

 

Legislação

Publicada em julho passado, resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) tornou obrigatório, em âmbito nacional, o uso dos simuladores nas autoescolas a partir deste ano aos candidatos à categoria B da CNH. Este, por sua vez, terá que fazer, no mínimo, 25 horas de aula prática, das quais 5 no simulador, sendo uma delas em período noturno.

O órgão garante que, em um segundo momento, a exigência se estenderá às motos, ônibus, caminhões e veículos comerciais. Outra previsão da resolução é que cada aula no simulador contenha ao menos dez situações que retratem normas gerais de circulação e conduta do Capítulo III, associadas às correspondentes infrações de trânsito previstas no Capítulo XV, do CTB.

Neste contexto, estão inclusos, por exemplo, exercícios em percursos montanhosos, com curvas acentuadas ou mesmo com cruzamentos sinalizados. Quanto às infrações destacadas durante as aulas estão a ausência de uso do cinto de segurança (art.167), deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais (art.192) e avançar sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória (art.208).  (@excom.com.br)

9f040bf6-0ffe-48d4-92eb-73550e79b03c e11763da-14e0-4e1b-b4bc-a4a94c56b5e7

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.