TRE-PR realiza diplomação de “políticos mirins”

Desembargador Luiz Fernando Tomasi Keppen fala sobre a importância da educação cidadã

O TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) realiza nesta quarta-feira (30), às 17h, a diplomação dos políticos mirins eleitos para a gestão 2016 da Cidade Mirim do Colégio Opet. Como de costume, a cerimônia é realizada pelo TRE – que também cede as urnas eletrônicas para a eleição, realizada em novembro.

O prefeito eleito, Matheus Andrey, e o vice Felipe S. Vigo, do Partido Social Mirim, serão diplomados ao lado de Luis Otávio Fratoni, que assume a presidência da Câmara por ter sido o vereador mais votado. Além deles, outros 13 alunos eleitos vereadores também serão diplomados amanhã. A posse acontece do dia 19 de abril, às 17h, no Colégio Opet, em cerimônia aberta aos pais e à comunidade escolar.

Presidente do Tribunal, o desembargador Luiz Fernando Tomasi Keppen enfatiza a importância de iniciativas como a Cidade Mirim na construção da cidadania dos eleitores e políticos do futuro.

20151127_145203

O TRE-PR acompanha de perto o processo eleitoral do projeto Cidade Mirim, do Colégio Opet, há alguns anos. Por que o Tribunal Regional Eleitoral acha importante participar de iniciativas como essa?

Sim. À Justiça Eleitoral não cabe apenas as atribuição de alistamento eleitoral, organização das eleições e a competência para dirimir conflitos decorrentes das eleições, mas cumprir a função social de despertar a vocação de futuros governantes e prepará-los para conduzir com ética os destinos da sociedade, bem como preparar os demais para que exerçam o direito de voto com consciência e inteligência.

Desembargador Keppen, presidente do TRE-PR. Crédito: CCS TRE-PR
Desembargador Keppen, presidente do TRE-PR. Crédito: CCS TRE-PR

Qual a importância da educação cidadã na formação dos futuros eleitores?

A Justiça Eleitoral é o órgão do Poder Judiciário Federal responsável pela garantia de efetividade da real vontade popular. Assim, é o modelo ideal para semear nos futuros eleitores um paradigma para formação dos verdadeiros estadistas. 

Aprender desde cedo a votar com consciência, se candidatar, ser eleito e cumprir as funções do mandato pode ser uma forma de melhorar a forma como se faz política?

Sim. Integrar as crianças e adolescentes no processo eleitoral é a melhor forma de se construir uma personalidade voltada ao bem comum e a sensibilidade para os problemas sociais.

Há outras iniciativas do tipo que poderiam ser realizadas na educação infantil?

É importante que as crianças tenham consciência não somente do sistema eleitoral, mas também da atuação dos eleitos após a diplomação. Por isso, é necessário que as escolas complementem a formação eleitoral com noções – em linguagem didática e apropriada – da organização do Estado e do processo legislativo (aprovação das leis).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.