UFPR oferece serviço de apoio para filhos de dependentes

Um projeto-piloto do departamento de Psicologia da UFPR passará a oferecer serviço de suporte a filhos de dependentes de álcool, substâncias psicoativas ou remédios legalmente prescritos. A ação é voltada a alunos do ensino fundamental, médio e universitários e o atendimento realizado por alunos do 5º ano do curso de psicologia.

As pessoas mais atingidas pelo consumo excessivo de drogas e álcool nem mesmo as usam: são os filhos dos dependentes. Além dos traumas físicos e emocionais a que estão expostas, crianças com pais dependentes são o maior grupo de risco para se tornarem abusadores dessas substâncias. Os impactos negativos da convivência alertam para urgência na criação de medidas protetivas e de prevenção para esse público. Ainda não se sabe o tamanho exato do contingente no Brasil, mas estimativas apontam a existência de pelo menos 28 milhões de pessoas convivendo com um usuário de drogas ou álcool na família.

Quando comparados a crianças que vivem em lares sem dependentes, os filhos de abusadores de álcool e drogas tendem a exibir maiores sintomas de depressão e ansiedade e têm alterações de comportamento mais frequentes, como hiperatividade e déficit de atenção. Em relação à escola, os filhos de dependentes tendem a ‘liderar’ as taxas de abandono escolar e, em geral, têm baixo desempenho em testes e avaliações.

Pesquisas realizadas nos Estados Unidos relacionaram o uso excessivo de álcool e drogas aos casos negligência e abuso infantil. Cerca de 80% dos profissionais da área de assistência social atribuíram o consumo de substâncias a pelo menos 50% dos casos de maus tratos infantis registrados.

O álcool e outras drogas também interferem na interação familiar. Famílias com casos de alcoolismo reportam maior nível de conflitos, falta de estrutura familiar e coesão, problemas financeiros e violência física e mental.

O projeto é supervisionado pela professora do Departamento de Psicologia Norma Ferrarini, que vê a ideia como algo diferenciado. “Sabemos que esse público existe em qualquer espaço social, mas sem muito amparo. Por isso, nosso foco agora está em envolver as pessoas para formação de um grupo e mostrar que não os únicos a viver nessa realidade”, avalia a professora. De acordo com ela, o objetivo é prestar uma orientação educativa, não terapêutica, de forma a instruir sobre o assunto, quais os danos possíveis,  como lidar com as pessoas e com os principais dilemas.

 

Inscrição

Para participar, é necessário preencher o formulário disponível no endereço goo.gl/forms/LXY7tTF5gb. Os atendimentos serão realizados no Centro de Pesquisa e Assessoria em Psicologia e Educação (Ceappe), órgão suplementar do Setor de Ciências Humanas da UFPR, situado na praça Santos Andrade, nº 50. Todos os dados obtidos serão tratados de forma anônima e sigilosa.

Mais informações pelo e-mail acaufpr@gmail.com ou pelo celular/whatsapp 9812-3965  <nacoa.brazil@gmail.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.