Nódulos: homens também são propensos ao câncer de tireoide

Os nódulos da tireoide podem ter causas diversas por alterações estruturais da própria glândula ou por surgimento de tumores que podem ser benignos ou malignos. O câncer de tireoide é encontrado em cerca de 8% dos nódulos nos homens e em 4% dos nódulos em mulheres. De forma geral, nódulos na tireoide são muito comuns e cerca de 90% deles são benignos.

A causa da maioria dos nódulos benignos não é conhecida. Alguns estudos apontam que o consumo de iodo em excesso leva ao aparecimento de nódulos, assim como a gravidez também aumenta as chances do surgimento.

“Nódulos na tireoide são agrupamentos de células na glândula tireoide, isto é, uma massa de tecido tireoidiano que cresceu e que pode se transformar em cistos cheios de líquido ou nódulos sólidos – compostos por células da glândula tireoide”, explica Jorge kim, especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço e em Doenças da Tireoide e Paratireoide da Alira Medicina Clínica. As chances de desenvolver nódulos aumentam à medida que se envelhece. Embora os sintomas não sejam comuns, um nódulo grande pode, às vezes, causar rouquidão ou atrapalhar a engolir ou respirar.

Em casos de nódulos, é importante visitar o médico a cada 6 a 12 meses para monitoramento. “Este acompanhamento envolve exame físico e ultrassonografia. Caso neste período seja detectado aumento do nódulo ou houver algum achado suspeito tanto no exame físico como na ultrassonografia, o médico deve avaliar se há necessidade de investigação com biópsia, que é realizada através de punção com uma agulha fina, ou, em alguns casos, é orientado, inclusive, a remoção cirúrgica”, afirma o especialista.

O tratamento depende do tipo de nódulo da tireoide. “A recomendação é de remoção cirúrgica da tireoide para nódulos cancerígenos ou suspeitos. Após a cirurgia, terapia com iodo radioativo pode ser usada para destruir quaisquer células tireoideanas remanescentes em caso de diagnóstico de alguns tipos de cânceres. A remoção também é indicada para outros tipos de nódulos, mesmo quando eles não são cancerígenos; geralmente quando são grandes, comprimem estruturas ao redor dela e causam problemas para engolir ou respirar”, diz.

Kim destaca que todos os nódulos da tireoide devem ser avaliados para se afastar a possibilidade de serem câncer de tireoide e também a importância de fazer o acompanhamento adequado de acordo com cada caso.

*Dr. Jorge Kim é especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço e em Doenças da Tireoide e Paratireoide da Alira Medicina Clínica. Tem título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) e é membro da equipe da Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP HC-FMUSP).

 <news@tirodeletras.com.br>

image003
(Imagem meramente ilustrativa)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.