Trilhas dos Potiguaras fará parte do novo Mapa do Turismo Brasileiro

Um novo destino turístico vai despontar no litoral norte da Paraíba. Trata-se das Trilhas dos Potiguaras, formadas pelas praias de Barra de Camaratuba, Barra de Mamanguape, Baía da Traição e Forte Velho.  A região faz parte do novo mapa turístico, com previsão de lançamento ainda no primeiro semestre, do Ministério do Turismo – que define as regiões turísticas do Brasil aptas a receber mais investimentos para melhoria de infraestrutura e qualificação do atendimento ao visitante.
 
Na região com 66 quilômetros de área protegida de remanescentes de Mata Atlântica viviam tribos indígenas dos Potiguaras, que datam de 1.501. O local abriga hoje 32 aldeias e mais de 20 mil representantes da etnia, além de seis belas praias para desfrutar. Apesar de ainda pouco conhecido, o destino conta com hotéis e pousadas. Para facilitar o acesso foram construídas as estradas de Forte Velho e de Barra de Camaratuba pelo Governo do Estado.
 
O Ministério do Turismo já repassou para o Estado da Paraíba R$ 412 milhões para obras de infraestrutura turística. Na região das trilhas dos potiguaras o recurso auxiliou na construção de um portal na Baía da Traição e a pavimentação em paralelepípedos, no município de Lucena (Forte Velho).
 
Ainda como parte da estruturação da região, recentemente 30 empresários foram capacitados pela Secretaria de Turismo da Paraíba, em parceria com o Sebrae. A qualificação será estendida para um total de 300 pessoas que poderão aprender sobre condução ambiental local, marketing na web voltado para artesanato e excelência no atendimento ao turista.
 
“O projeto de desenvolvimento do turismo no litoral norte da Paraíba possibilita que os municípios possam se estruturar para receber cada vez melhor o turista, dando condições para que a região se posicione de forma mais competitiva e o estado possa diversificar sua oferta turística”, afirma Gabrielle Andrade, coordenadora-geral de mapeamento e gestão territorial do turismo.
 
A Paraíba conta hoje com 11 regiões turísticas no Mapa do Turismo e 137 municípios, mas essa quantidade deve mudar, pois o Mapa do Turismo Brasileiro está passando por reformulações.  O mapa faz parte do programa de regionalização do MTur e é o instrumento que define o direcionamento das políticas públicas de turismo.
 
O Secretário Executivo de Turismo da Paraíba, Ivan Burity, destacou a importância dos cursos. “Esse projeto tem como principal objetivo desenvolver o turismo do Litoral Norte e fomentar a economia da região. Por isso, as pessoas precisam estar preparadas para receber o turista”, afirmou.
 
ESTRUTURAÇÃO – Outros dois destinos que despontam no ecoturismo, Airuoca, em Minas Gerais e Nobres, no Mato Grosso, local de mergulho e flutuação. Com seis mil habitantes, Airuoca recebeu quase R$ 200 mil do Ministério do Turismo para reforma e ampliação de praça. O município tem o Parque Estadual da Serra do Papagaio, onde está o pico do Bico do Papagaio, com trilhas que exigem preparo físico, o vale do Matutu e há também diversas cachoeiras e poços para visitação. Mas atenção, é importante contratar um guia que conhece bem a região para não entrar em enrascada e não passar perigo.
 
Em Nobres, no Mato Grosso, o ecoturismo predomina com a flutuação e o mergulho, boia cross, trilhas e tirolesa. A Lagoa das Araras tem um belo por do sol e dá para assistir revoada de aves, além de passeios de barco e percursos de boia pelos rios Salobra e Quebó. A flutuação e o mergulho podem ser feitos em rios de águas cristalinas. A  cidade já recebeu R$ 7 milhões para obras de infraestrutura turística do Ministério do Turismo. Entre as obras foram feitas a pavimentação de ruas do município e restauração da praça Matriz. (Carolina Valadares)

Leia Mais:

Estados discutem novo Mapa do Turismo Brasileiro

<ascom@turismo.gov.br>

f86fb2ae-54ae-4845-9325-82145ae9e6fb
Barra de Mamanguape. Crédito: Divulgação

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.