Minotauro e Mário Yamasaki falam sobre MMA e Direito Desportivo em Curitiba

Com auditório lotado, o UniBrasil Centro Universitário recebeu nesta quinta-feira (12), Mario Yamasaki, principal árbitro brasileiro de MMA e Rodrigo Minotauro, um dos maiores representantes das artes marciais e que atualmente trabalha como embaixador do UFC. Juntos, dividiram experiências durante uma conversa descontraída com alunos e outros convidados como Alberto Goldstein, professor do UniBrasil, advogado membro do IPRDD (Instituto Paranaense de Direito Desportivo) e membro da Comissão de Direito Desportivo da AOAB/PR, Fábio Mitidieri, Deputado Federal, Rafael Favatti, advogado e presidente da CABMMA e Cristiano Sampaio, também da CABMMA.
Em clima de ansiedade pelo evento que deve reunir mais de 45 mil pessoas na Arena da Baixada neste sábado (14), Minotauro destacou a alegria de estar na capital paranaense e poder dividir este momento e sua experiência com a nova geração. “Curitiba tem o DNA da arte marcial e já é conhecida como a capital do MMA no Brasil, além de berço de grandes atletas, então nada mais justo que ver o UFC acontecendo aqui. E poder discutir sobre o Direito Desportivo é fantástico. É uma oportunidade de mostrarmos a importância dos exames, controles e a seriedade com que o esporte realmente deve ser encarado”, diz.
Já Mario Yamasaki, principal árbitro brasileiro da modalidade, destacou a importância de fomentar o UFC e a prática do esporte entre todos. “Termos este momento com os alunos é extremamente valioso. Precisamos lembrar que são eles, a nova geração, que nos ajudará a construir e aumentar cada vez mais a qualidade dos eventos. É fundamental nos preocuparmos com a saúde, regras, rigor, regulação e a integridade e vida do atleta. Discussão urgente e necessária no mundo”, frisa ele.
O evento que aconteceu em parceria com os cursos de Direito e Educação Física do UniBrasil, alegrou também os professores que destacaram o quão fundamental é a discussão e interesse por esportes que fogem do tradicional futebol. “A luta está crescendo cada vez mais. A interlocução é fundamental na formação do profissional e o Direito vem trazendo uma nova perspectiva capaz de mostrar como o profissional deve proceder. Então é necessário que nossos futuros profissionais enxerguem o esporte de forma que possam conhecer, reconhecer e atender as diferentes demandas do mercado”, avalia Camile Luciane da Silva, coordenadora do curso de Educação Física.
Para o curso de Direito, o encontro foi ainda mais especial e gerou euforia entre alguns alunos e docentes que não economizaram nas perguntas. Entre os assuntos discutidos, a base do Direito Desportivo foi a grande atração e juntos puderam falar sobre políticas médicas e de arbitragem, respeito pelo atleta e a importância das leis e a seriedade com que o tema deve ser tratado no país, principalmente para poder proteger os atletas.
“Nosso maior objetivo é trazer uma multidisciplinaridade para os alunos e aproximá-los das artes marciais. Todos ganham não só pela experiência, mas também por explorarem a área do Direito Desportivo de forma tão valiosa. É uma oportunidade de mostrarmos que existe um nicho muito grande e que o esporte caiu no gosto do público. Então trazemos uma formação especial e temas muito emergentes que enriquecem ainda mais o conhecimento de cada um”, comenta Alberto Goldstein.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.