Saiba quais são os exames que detectam o vírus da gripe

Frischmann Aisengart oferece cinco tipos de testes, incluindo o que diagnostica o H1N1

A gripe começou a atacar mais cedo em 2016, provocando mais de 200 mortes no Brasil até o final de abril. Em geral, os surtos ocorrem entre maio e julho, especialmente no Sul e no Sudeste, regiões mais frias do país, onde as pessoas estão acostumadas a aumentar cuidados para a prevenção. Mas nem todos sabem que existem testes para identificar se o paciente está realmente infectado pelo Influenza, o vírus da gripe e, em caso positivo, por qual tipo de Influenza.

“O diagnóstico rápido e preciso é de fundamental importância não apenas para o início imediato do tratamento, mas também para evitar o uso de antiviral desnecessário”, destaca a médica Myrna Campagnoli, diretora médica do Frischmann Aisengart. Ela explica ainda que, na vacina oferecida pelo Laboratório neste ano, estavam contidas quatro cepas de vírus: A/H1N1, A/H3N2, B/Brisbane e B/Phuket.

O Frischmann Aisengart oferece cinco exames que permitem a detecção da gripe, incluindo o diagnóstico do vírus H1N1. Conheça os testes:

1) Exame de detecção e caracterização do H1N1 / Influenza A– usa como base amostras de secreções respiratórias (de nasofaringe), que devem ser coletadas entre o terceiro e o sétimo dia depois do começo dos sintomas da gripe. Este teste usa a metodologia PCR, sigla em inglês para o termo técnico de genética “reação em cadeia da polimerase”. Esta metodologia usa o que há de mais moderno em biologia molecular. Se há vírus no organismo do paciente, o teste vai sequenciar o material genético para identificar se é ou não o H1N1. A sensibilidade e a especificidade do método dependem da quantidade e da qualidade de material enviado para a análise. Por isso, sua coleta e transporte adequados são essenciais para a precisão do diagnóstico. O resultado fica pronto em quatro dias.

2) Anticorpos IgG e IgM para Influenza A e para Influenza B – consiste em um exame de sangue. É um procedimento que permite a detecção da presença dos anticorpos IgG e IgM, que são estimulados em resposta ao contato com o antígeno (vírus Influenza A ou B, dependendo do teste solicitado). Estes anticorpos podem ser detectáveis de sete a dez dias depois do contato do antígeno. O resultado do exame fica pronto em vinte dias.

3) Anticorpos IgG e IgM Parainfluenza (tipos 1, 2, 3 e 4) – consiste em um exame de sangue. É feita uma pesquisa de anticorpos do vírus Parainfluenza dos tipos 1, 2, 3 e 4. O resultado fica pronto em dez dias.

4)Haemophilus Influenzae tipo B –  consiste em um exame de sangue e detecta apenas o vírus Influenza B. Ao contrário do teste IgG e IgM, que investiga o anticorpo, este exame investiga o vírus (antígeno). É recomendado para a fase inicial dos sintomas, durante a circulação do vírus, antes do aparecimento dos anticorpos, permitindo a rapidez no tratamento adequado. O resultado fica pronto em seis dias.

5) Painel vírus respiratório – usa como base amostras de secreções respiratórias (de orofaringe). Este teste usa a metodologia PCR. O exame sequencia material genético para detectar dez diferentes tipos de vírus: Influenza A, Influenza B, Sincicial respiratório, Metapneumovírus, Adenovírus, Coronavírus, Enterovírus, Rhinovírus, Bocavírus e Parainfluenza. O resultado fica pronto em seis dias.

 Sobre o Laboratório Frischmann Aisengart

O Laboratório Frischmann Aisengart tem mais 70 anos e é considerado uma referência para o segmento de medicina diagnóstica. Possui mais de 600 colaboradores e mais de 30 unidades no Paraná. São mais de três mil tipos de exames de análises clínicas, soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, além do serviço de vacinas. Para mais informações: www.labfa.com.br ou (41) 4004-0103.  Siga o Laboratório Frischmann Aisengart nas redes sociais: Blog – blog.labfa.com.br; Facebook – facebook.com/laboratorio.fa.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.