Londrina: a capital do café no Paraná

O município de Londrina é o primeiro destino paranaense a receber a tocha olímpica

Por Pedro Fideles

27a435c6-b2e2-4f55-a746-a9390339ce95
Cidade de Londrina. Foto: Wilson Vieira

Conhecida como a “capital do café” do Paraná devido à sua produção do grão que foi considerada uma das maiores do mundo até o ano de 1975, Londrina recebe a Tocha Olímpica nesta terça-feira (28). A cidade preserva a história da produção da bebida em roteiros turísticos que se estendem por mais sete cidades da região Norte do estado: Cambé, Rolândia, São Jerônimo da Serra, Ribeirão Claro, Tamarana, Ibiporã e Santa Mariana.

A Rota do Café do norte do Paraná destaca-se entre os roteiros dedicados à preservação da história da produção cafeeira na região pela infraestrutura e pela diversidade de atrativos. Durante o passeio, os turistas podem conhecer a cultura dos imigrantes italianos e alemães com a visita às fazendas históricas, que também promovem a contemplação do processo de moagem do grão e a degustação da bebida.

As histórias dos proprietários das fazendas sobre o processo de produção do café e a variedade de produtos de agricultura familiar encantaram a paranaense Cláudia Castro, que realizou o roteiro turístico com um grupo no início deste mês. “Foi uma experiência ímpar visitar a Fazenda Palmeira em Santa Mariana e a Vinícola Casa Muller em Londrina. Degustamos um maravilhoso almoço servido com suco de morango colhido na própria fazenda. Também conheci o delicioso café especial do Norte do Paraná, adocicado naturalmente”, conta.


Museu Histórico de Londrina. Foto: banco de imagens

O Museu Histórico de Londrina também preserva a história da produção do café no Paraná em seu acervo que possui mais de 40 mil peças, como documentos, fotografias e objetos que eram utilizados desde o período colonial. Em 2011, a Rota do Café ficou em 1o lugar na categoria Roteiro Turístico da premiação dos casos de sucesso do Programa de Regionalização do Turismo, do Ministério do Turismo.

COMO CHEGAR – O acesso à capital do café paranaense pode ser feito pelo Aeroporto de Londrina e pela rodovia BR-376 partindo da Rodoviária de Curitiba.

O DIA DA TOCHA – Antes de chegar à Londrina, a tocha olímpica passará pelos municípios de Paraguaçu Paulista, Assis e Marília, que tem como um de seus principais atrativos o Museu de Paleontologia de Marília. No local, os visitantes podem conhecer, fotografar, e em algumas exposições, até tocar nos fósseis que retratam a biodiversidade pré-histórica da região.

INVESTIMENTOS – O Ministério do Turismo já investiu R$ 8,42 milhões em obras de desenvolvimento da infraestrutura turística nos municípios de Paraguaçu Paulista, Marília, Assis e Londrina, que receberão a visita da tocha olímpica nesta terça-feira. <ascom@turismo.gov.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.