Emplacamentos de veículos registram estabilidade em junho, mas acumulado tem queda no 1º semestre de 2016

A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgou hoje (4), o desempenho do setor automotivo no mês de junho e do 1º semestre de 2016.

Para o Setor da Distribuição de Veículos no geral (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros) o mês de junho apresentou retração de 0,41% em relação a maio (263.570 unidades em junho, contra 264.645 no mês anterior). Na comparação entre os meses de junho 2016 e o mesmo mês de 2015, o setor teve queda de 19,05%.

De acordo com a Fenabrave, no acumulado do ano, houve queda de 21,51% para todos os setores somados. No primeiro semestre de 2016 foram emplacadas 1.592.746 unidades, contra 2.029.279 no mesmo período de 2015.

Em recuperação

Com um dia útil a mais, os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, apresentaram alta de 2,62% em junho em relação ao mês anterior. Foram emplacadas 166.410 unidades, contra 162.161 em maio de 2016. Se comparado com junho do ano passado (204.606 unidades), o resultado aponta queda de 18,67%. No acumulado do ano, esses segmentos caíram 25,09%. Foram comercializadas 951.206 unidades no 1º semestre de 2016, contra 1.269.817 no mesmo período de 2015.

Também o segmento de caminhões apresentou aumento de 3,15% em junho, atingindo 4.188 unidades contra 4.060 em maio. No acumulado do semestre, no entanto, o setor caiu 31,99%.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr. a recuperação ainda é pequena e sem grandes oscilações, situação que deve permanecer até a definição do cenário político nacional. “Já estamos notando uma melhora nos índices de confiança, tanto por parte de consumidores como de investidores, mas não imaginamos grandes mudanças nos dados do setor até que o cenário político se defina. Os números do setor apontam que retornamos uma década em resultados de vendas”, declarou.

Apesar de a economia dar sinais de recuperação, o desemprego ainda ameaça a população, afetando, principalmente, os consumidores de motocicletas. Esse segmento apresentou queda de 6,4% em junho sobre maio, caindo 14,76% no semestre. “A base da pirâmide de consumo tem sido a mais afetada, razão pela qual os índices de vendas de motos ainda não mostram sinais de retomada”, avaliou o presidente da Fenabrave.

Ainda em compasso de espera por definições políticas, a Fenabrave não alterou suas projeções para o ano, mantendo em -15,04% a retração esperada para o setor em geral e chegando a -20% para automóveis e comerciais leves, -5% para motocicletas, -23% para caminhões e -8,5% para implementos rodoviários. “Essas projeções já consideram uma melhora no quadro geral da economia e do setor, pois, se os dados se mantivessem como no início do ano, os resultados seriam piores”, conclui Assumpção Júnior. (marketing@marketing.fenabrave.org.br)

Acompanhe, na tabela a seguir, os dados de emplacamentos de cada segmento automotivo:

unnamed

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.