Obra de poeta polonesa é destaque do jornal Cândido

A edição 60 do jornal Cândido, editado pela Biblioteca Pública do Paraná, traz como destaque um ensaio sobre a obra da polonesa Wislawa Szymborska (1923 2012), Prêmio Nobel de Literatura.

O texto é assinado por Regina Przybycien, tradutora da poeta. Professora aposentada da Universidade Federal do Paraná (UFPR), ela organizou o primeiro livro de Szymborska publicado no Brasil, em 2011. Desde então, a valorização da poeta só cresceu no país. Ainda este ano, outra seleta com a produção da polonesa será lançada por aqui.

O ensaio da professora Regina discute, entre outros aspectos, como Szymborska utilizou a ideia do mundo como teatro e do teatro como mundo em diversos momentos de sua produção. O texto também apresenta ao leitor momentos da vida da poeta que influenciaram sua obra, como a aproximação, e mais tarde distanciamento, das ideias do socialismo soviético.

Szymborska é apenas um exemplo, entre tantos, de grandes autores poloneses pouco traduzidos ou conhecidos no Brasil. Ainda que o Paraná seja o Estado com a maior colônia de poloneses do Brasil e Curitiba a segunda cidade do mundo, em território fora da Polônia, com mais polacos, os autores do país europeu nunca foram muito populares por aqui. Esse é o tema da entrevista com o polonês Henryk Siewierski, professor titular do Departamento de Teoria Literária e Literaturas da Universidade de Brasília (UnB). Tradutor de clássicos da literatura polonesa, como Bruno Schulz, Siewierski fala sobre as peculiaridades da literatura de seu país e por que os autores nunca foram muito aceitos pelos leitores brasileiros.

Manoel de Barros 100 anos

A poesia segue em destaque na edição 60 do Cândido. O ano de 2016 marca o centenário de nascimento do poeta Manoel de Barros, morto em 2014. Uma grande matéria discute o legado do autor mato-grossense, que terá nova reedição de sua obra. Já os professoresRobson Coelho Tinoco e Míriam Theyla analisam a produção do poeta a partir da grande fortuna crítica de Barros já disponível na academia.

Entre os inéditos, destaque para os poemas do paranaense Amarildo Anzolin e a tradução de Dirce Waltrick do Amarante, que é professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), para texto do dramaturgo romeno Eugène Ionesco (1909-1994).

Serviço

O Cândido tem tiragem mensal de 10 mil exemplares e é distribuído gratuitamente na Biblioteca Pública do Paraná e em diversos pontos de cultura de Curitiba. O jornal também circula em todas as bibliotecas públicas e escolas de ensino médio do Estado. É enviado, via correio, para assinantes a diversas partes do Brasil. É possível ler a versão online do jornal em www.candido.bpp.pr.gov.br. O site também traz conteúdo exclusivo, como entrevistas, vídeos e inéditos.

Fonte: BPP

9ed4054d-dcd0-4d56-b84c-9fefbb48c045

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.