Poeira e ácaros ainda são os vilões da rinite alérgica

Obstrução e prurido nasais, espirros, tosse e a baixa sensibilidade olfativa: esses são alguns dos sintomas da rinite alérgica, que é a inflamação e irritação da mucosa nasal. Segundo o otorrinolaringologista Ian Selonke, da Otorrinos Curitiba, a genética tem grande influência no aparecimento da inflamação, afetando adultos e crianças.
“O histórico familiar está fortemente associado quando falamos da rinite. Se ambos os pais são alérgicos, a chance de o filho sofrer com isso, por exemplo, pode chegar a mais de 80%. Em pacientes asmáticos, a presença de rinite alérgica pode chegar a 100%. E as crianças também podem desenvolvê-la. A rinoconjuntivite, que é uma mistura de rinite e conjuntivite, é a doença crônica mais frequente na infância, afetando cerca de 1 a 45% da população infantil mundial”, esclareceu o especialista.
Há vários momentos do ano em que a rinite pode se desencadear. Caso o paciente apresente hipersensibilidade ao pólen, por exemplo, ele apresentará mais sintomas de rinite alérgica na época do ano onde a floração e a presença do pólen no ambiente estiverem mais presentes, neste caso geralmente na primavera. Já no inverno, onde os ambientes tendem a ficar mais fechados devido às baixas temperaturas, há maior exposição a ácaros e fungos. Ou seja, quem tiver hipersensibilidade a essas substâncias poderá apresentar crise de rinite alérgica. Há, ainda, as rinites perenes, que são durante todo o ano, como é o caso de sintomas à exposição diante de animais domésticos, como cães e gatos.
As principais causas para a rinite se desenvolver ainda são a poeira e os ácaros, que se acumulam nos colchões e estofados. Para o doutor Ian, a melhor forma de manter a rinite a distância é a higienização constante dos objetos, bem como manter a casa bem ventilada. “O quarto em que dormimos deve ser bem fresco e ensolarado. Também devemos evitar travesseiros e colchões de pena. Evitar tapetes, carpetes, cortinas e almofadões são outras dicas para afastar o problema da rinite. É importante que se dê preferência a pisos laváveis e cortinas persianas ou um material que possa ser limpo com pano úmido. Evitar, também, bichos de pelúcias, estantes, livros, revistas e caixas de papelão no quarto de dormir. Roupas e cobertores devem ser lavados e secados ao sol antes do uso”, orientou o otorrinolaringologista.
Caso os sintomas de obstrução e prurido nasal se tornem muito frequentes e comecem a interferir no trabalho, nas atividades do dia a dia e principalmente no sono, o paciente deve procurar um tratamento médico.
Sobre o professor doutor Ian Selonke
Ian Selonke é formado em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital de Caridade da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba (ISCMC) e Fellowship de Cirurgia Otológica e Craniofacial no ISCMC. É Coordenador do Ambulatório de Rinologia e Cirurgia Endoscópica Nasossinusal da Residência em Otorrinolaringologia do Hospital Angelina Caron desde 2006 e Coordenador do Ambulatório de Rinologia e Cirurgia Endoscópica Nasossinusal da Especialização em Otorrinolaringologia do Hospital da Cruz Vermelha desde 2007. Também é Coordenador do Ambulatório de Rinologia e Cirurgia Endoscópica Nasossinusal do Hospital Infantil Pequeno Príncipe.
Sobre a Otorrinos Curitiba
A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.
A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 9h às 13h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.
A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.
Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês
Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084
<gezianediosti@gmail.com>
572d5391-32b6-4f67-82fa-67aa66eb4ac1

1 Comentário

  1. Não sei mais o que fazer com meu filho de 3 anos. Tem tosse alérgica a poeira domestica. Onde moro tem muita poeira. Tosse constantemente e os médicos daqui só me dão loratadina? Agora fiz raio X para ver o que ele tem. Durante os 10 dias de tratamento com amoxicilina não tossiu. Foi só acabar? Começou tossindo de novo. Não tenho condições de pagar consulta. Me ajude por favor

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.