Vamos nos prevenir contra o câncer de cabeça e pescoço

O câncer de cabeça e pescoço afeta diversas áreas e funções do corpo humano: cavidade oral e nasal, glândulas salivares e laringe, entre outros; respiração, fala, deglutição, paladar, olfato etc.

“Entre os sintomas preocupantes estão nódulo persistente no pescoço, principalmente quando não desaparece espontaneamente em até 21 dias, é endurecido e cresce progressivamente, lesão na boca que não cicatriza espontaneamente em até 21 dias, e rouquidão por mais de três semanas, em especial em fumantes e consumidores frequentes de bebidas alcoólicas. Tais manifestações servem de alerta para a procura com urgência de um cirurgião de cabeça e pescoço, já que podem ser indicativos da doença”, alerta o Fernando Walder, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP).

O vírus HPV (Papiloma Vírus Humano – doença sexualmente transmissível) também contribui para o surgimento do câncer, fato confirmado por Gyl Ramos, médico oncologista e cirurgião de cabeça e pescoço do Hospital de Clínicas da UFPR. “Homens e mulheres estão sujeitos a contrair o vírus. A conscientização sobre o mal é muito importante e que, caso apareçam sintomas, a pessoas deve procurar um médico”, afirma.

Caso o mal seja diagnosticado com antecedência, o paciente pode iniciar logo o tratamento, algo fundamental para a cura do câncer. “Com o diagnóstico precoce, a chance de remissão é de até 90%. Mas a falta de informação é o maior desafio para identificar a doença”, acredita o Luiz Paulo Kowalski, diretor do Departamento de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do AC Camargo Câncer Center. “Cerca de 70% dos casos são diagnosticados em estágio avançado”, completa.

 

Números

O projeto GLOBOCAN realiza estudos sobre a incidência dos diversos tipos de câncer, mortalidade e prevalência no mundo. Segundo as pesquisas, são diagnosticados mais de 600 mil novos casos ao redor do globo.

De acordo com a publicação “Estimativa 2014: Incidência de Câncer no Brasil”, do Instituto Nacional de Câncer (INCA), a previsão para o ano de 2015 foi de aproximadamente 576 mil novos casos na população brasileira.

Esse levantamento do INCA apontou que o câncer de boca, laringe e demais locais é hoje o segundo mais frequente entre os homens, atrás somente do câncer de próstata, com mais de 18 mil casos diagnosticados anualmente no Brasil. Nas mulheres, predomina o câncer da tireoide, o quinto mais comum entre elas.

Os altos índices no Brasil foram apontados na Revista Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, em artigo publicado na edição de dezembro de 2012.

“É necessária a implantação imediata de políticas públicas pelas autoridades de saúde, principalmente quanto à implementação de programas de diagnóstico precoce e de combate aos fatores de risco, pois trata-se de uma doença, na maioria das vezes, relacionada à exposição a fatores comportamentais evitáveis”, declara o cirurgião de cabeça e pescoço Leandro Luongo de Matos, um dos autores do artigo.

 

Perfil do paciente

Segundo o estudo, o grupo mais afetado pelo mal são homens, na faixa etária entre 40 e 69 anos, fumante e/ou consumidor habitual de bebidas alcoólicas. Gyl Ramos diz que é cada vez mais freqüente que pessoas com menos idade contraiam a doença. “Cada vez mais, os jovens estão bebendo e fumando. Esses fatores podem contribuir para o desenvolvimento da doença em pessoas que não se encaixam nessa faixa”, afirma.

Para Kowalski, 75% dos casos está relacionado ao consumo de álcool e tabaco.

 

Procedimentos para lidar com a doença

Entre os possíveis tratamentos, estão cirurgia, radioterapia (em estágio mais avançados, o remédio cetuximabex pode ser usado ao mesmo tempo) e a quimioterapia. Eles podem aumentar as chances de controle da doença e proporcionar uma melhor qualidade de vida aos pacientes.

Alimentação balanceada, de preferência rica em verduras e frutas, exercícios físicos, não fumar, não beber e manter a higiene bucal são maneiras de prevenir este tipo de câncer. Visitas periódicas ao dentista e exames de rotina também são importantes para garantir o diagnostico precoce.

 

Julho Verde

O dia 27 de julho foi definido como o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço no congresso mundial da especialidade, realizado em 2014, pela Federação Internacional das Sociedades Oncológicas de Cabeça e Pescoço. A SBCCP, que em 2017 comemorará o seu Jubileu de Ouro, realiza este ano a 2ª edição da Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça ePescoço – “Julho Verde”, visando conscientizar a população sobre a doença, seus principais fatores de risco e como preveni-la.

No Hospital de Clínicas da UFPR, serão distribuídos cartazes por determinadas unidades. O foco será nos acompanhantes dos pacientes com câncer que receberão um questionário e orientações sobre a doença e como se prevenir. Para o médico Gyl Ramos, é uma iniciativa importante. “É essencial que a população tenha esse conhecimento. Caso algumas pessoas saibam do protocolo e de como agir diante de algumas situações relacionadas à doença, já será um grande passo”, reforça.

Imagens CHC/UFPR:

Banner Julho Verde 620x150px (jpg)
Banner Julho Verde 930x320px (jpg)
Facebook Julho Verde 1000x1000px (jpg)
Cartaz Julho Verde (pdf)

Texto Leonardo Henrique sob orientação de Renildo Meurer
Com informações de Marisa Szwif, assessora de Comunicação da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

18264_julho_verde_620x150_58101896694874207

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.