Médico fala sobre esquecimentos do dia a dia e dá dicas práticas para melhorar a memória

Você costuma esquecer as coisas com frequência? É a chave de casa, o nome de alguém ou até mesmo aquela consulta médica que você já havia marcado há meses? Não se preocupe, segundo o geriatra do Hospital Nossa Senhora das Graças, de Curitiba, Dr. Luiz Antonio Sá, esquecimentosassim são considerados normais.

O médico explica que, com a agitação da vida moderna, a falha ou lapso da memória pode acontecer em qualquer idade e não é considerada doença. “As preocupações com os problemas diários, o estresse, ansiedade, impedem a retenção de informações novas, gerando a impressão de que a memória está falhando”, comenta. “Esses fatores, em geral, não afetam diretamente a memória, mas sim, a atenção e a concentração, é o caso dos conhecidos brancos que ocorrem em situações de ansiedade intensa”, exemplifica o especialista.

Para reter na memória determinada informação, além da atenção, outro fator importante a se considerar é em relação ao seu uso, ou seja, quanto menos utilizá-la mais ela vai falhar. “É como um músculo do corpo, que deixando de ser exercitado ele atrofiará”, destaca Dr. Luiz.

Outros motivos também podem causar o esquecimento, são eles – insônia, uso de drogas lícitas e ilícitas, uso de medicamentos, doenças neurodegenerativas, doenças metabólicas, cardiovasculares, entre outros.

O geriatra explica que para reter na memória determinada informação, é necessário trabalhar a questão da atenção. Outro fator importante a se considerar é o seu desuso, ou seja quanto menos utilizá-la mais ela vai falhar. É como um músculo do corpo, que deixando de ser exercitado eleatrofiará”, destaca o especialista. Para exercitá-la o médico recomenda algumas atividades:

Atividade diária: Atividade intelectual (exercícios de memória, leitura, palavras cruzadas,praticar jogos, xadrez), interação pessoal e envolvimento sócio cultural, exercícios cerebrais, alguns simples como recordar fatos do dia a dia e aprender novas habilidades.

Cultivar a atenção: ater-se aos fatos mais importantes que ocorreram durante o dia ou em sua vida e procurar guardá-los; exercitar-se com objetos simples, mantendo a concentração.

Relaxar e estar emocionalmente bem: É impossível prestar atenção se você estiver tenso ou nervoso.

Exercícios mnemônicos: Faça exercícios de memória. Associe fatos a imagem e procure guardá-los na memória. Imagine um alimento suculento e sinta todas as suas características.

Cuide da sua qualidade de vida: Opte por uma alimentação saudável, faça atividade física edurma bem.

Sinais de que pode ser doença

Atualmente existem 48,6 milhões de pessoas no mundo com demência. Os dados são da Alzheimer Disease International. Os sintomas iniciais que podem representar a doença são:

Perda de memória recente caso a pessoa comece a esquecer as coisas com mais frequência e fique incapaz de relembrar o assunto posteriormente;

Dificuldade em realizar atividades rotineiras – não conseguir planejar e completar tarefas do cotidiano, como preparar uma refeição e fazer uma ligação telefônica;

Desorientação espacial – esquecer onde está, esquecer o caminho de casa ou perder-se na própria vizinhança;

Vestir-se de forma inapropriada – muita roupa em dias quentes ou pouca em dias frios;

Mudança de comportamento Rápida alternância de humor e comportamento, sem motivos aparentes;

Trocar o lugar de coisas usuais – como colocar o ferro de passar no freezer. Porém, é normal colocar as chaves do carro ou carteira em lugar estranho de vez em quando.

Mônica Neves

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.