Oi aposta na transformação digital para conquistar novos clientes

Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira na sua sede em São Paulo, a Oi prepara o lançamento de dois aplicativos para este ano – o Técnico Virtual e o Colaborador de Campo – e duas plataformas – Oi Mais Saúde e Oi Smart -, tudo para facilitar a vida de seus clientes. Daqui até lá devem surgir outros aplicativos no rastro do Oi Mais Empresas, lançado em dezembro, e do Oi Livre. Os milhões de clientes do Oi Total deverão ter seu app à disposição ainda em 2016.

O desenvolvimento de produtos digitais na Oi ganhou novo ritmo desde que ela criou a diretoria de Estratégia e Transformação do Negócio, sob o comando de Maurício Vergani, e começou a inovar na forma de trabalhar. Em janeiro, ela criou times multidisciplinares, encarregados de tarefas de desenvolvimento de produtos e serviços, com prazos curtos e bem definidos, e autonomia de trabalho para atingir os objetivos.

“Estamos falando não mais em meses, mas em semanas para desenvolver um produto”, explica Vergani. É da mesa dessas equipes multidisciplinares que saiu o app Oi Livre, seguindo a mesma concepção utilizada para desenvolver o Oi Mais Empresas, que já conta com 150 mil usuários e um excelente nível de satisfação do clientes, segundo a empresa. As pequenas empresas que aderiram ao app agora se relacionam com a Oi apenas pelo aplicativo, seja para solicitar serviços como os relacionados à conta (conferência de gastos, segunda via, etc), seja para solicitar reparos ou comprar serviços.

Para acelerar o processo de digitalização, a Oi optou por criar uma área dentro da própria empresa e não fazer isso por meio de uma start up. Antes de tomar esta e outras decisões relativas ao processo digital, seus executivos fizeram um brain storm interno envolvendo mais 80 colaboradores da empresa e conversaram com muita gente do mercado de telecom (consultorias, especialistas, operadoras, fornecedores) e mesmo de outros segmentos de mercado (financeiro e de seguros, por exemplo).

Essa nova área é uma ruptura com a forma tradicional de trabalhar de uma operadora de telecom, que é burocrática e lenta. A diretoria de Estratégia e Transformação do Negócio abriga quatro divisões: Novos Negócios, a cargo de Nuno Cardim; Inovação Digital, dirigida por Ariel Dascal; Digitalização do Core, sob responsabilidade de João Pinheiro; e Plataformas Digitais, nas mãos de Rui Saraiva.

Para poder desenvolver os produtos digitais dentro do novo conceito, a operadora, segundo Vergani, criou uma nova camada sobre a área de Tecnologia da Informação, que continua operando no molde tradicional. “Eu faço a mediação junto à diretoria de Tecnologia e Operações, a qual está subordinada a TI”, comenta o executivo.

wdwdwdsd

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.