Para que servem as vacinas meningocócicas

A explicação é de Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart

Diferentemente do que a maioria das pessoas pensa, as vacinas meningocócicas não previnem apenas contra a meningite mas, também, contra qualquer infecção causada pela bactéria Meningococo. Por isso, pacientes que passaram por procedimentos de retirada do baço, que tenham artrite ou que sejam passíveis de infecção generalizada (sepse, no jargão médico) também são indicados para tomar estas vacinas.

De acordo com Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart, o Meningococo tem como infecção mais conhecida a meningite, mas ele pode ser responsável por outras situações como artrites e a  meningococemia, que é a disseminação da bactéria pelo organismo por via sanguínea. E, segundo a médica, o mesmo acontece com a vacina pneumocócica, que combate a bactéria Pneumococo e que tem como doença mais grave e conhecida a pneumonia. “Mas ela não é a única. Infecções de vias aéreas superiores, como sinusite e otite, infecções generalizadas e até a meningite estão na lista de doenças causadas pelo pneumococo e, portanto, nas indicações para esta vacinação”, exemplifica.

Myrna lembra que a meningite é uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal. A doença pode ser causada por agentes como bactérias e vírus. Os sintomas mais comuns são febre alta, dor de cabeça, vômito, náuseas, rigidez na nuca e manchas vermelhas na pele. A transmissão costuma acontecer pelo contato direto entre as pessoas, por meio de secreções respiratórias.

A diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart explica que existem alguns tipos de vacinas meningogócicas. A imunização da vacina contra a meningite do tipo B é feita em duas doses, com um intervalo de dois meses em cada aplicação, e é recomendada para crianças a partir de dois meses de idade. Já a vacina chamada de Meningocócica quadrivalente ou ACWY conjugada protege contra quatro tipos de Meningococos. Para esta vacina a imunização é feita com um reforço a cada cinco anos apenas para pessoas com idade menor que 16, e é recomendada para crianças a partir de um ano de idade. Na rede pública está disponível a vacina que protege contra o Meningococo do tipo C. Crianças de três e cinco meses recebem esta vacina do governo, com reforço.

Segundo Myrna, a vacina é a prevenção mais eficaz. “Estas vacinas são seguras e começam a imunizar o paciente entre dez e 15 dias depois da aplicação. Como a maioria das vacinas, pode causar uma leve dor local e febre nos dias após a aplicação”, descreve.

A médica sugere como medidas de prevenção a lavagem de mãos, evitar aglomerações e manter os ambientes ventilados mesmo nos dias frios. “A vacinação é muito importante, mas se faz necessária uma consulta com o médico especialista para estabelecer com maior precisão todos os cuidados indicados e para a prescrição do melhor esquema vacinal para cada paciente”, finaliza.

 Sobre o Laboratório Frischmann Aisengart

O Laboratório Frischmann Aisengart completa 71 anos e é considerado uma referência para o segmento de medicina diagnóstica. Possui mais de 600 colaboradores e mais de 35 unidades no Paraná. São mais de três mil tipos de exames de análises clínicas, soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, além do serviço de vacinas. Para mais informações: www.labfa.com.br ou (41) 4004-0103.  Siga o Frischmann Aisengart nas redes sociais: Blog – blog.labfa.com.br; Facebook – facebook.com/laboratorio.fa.

Laboratório Frischmann Aisengart
Assessoria de Imprensa – Curitiba
Talk Assessoria de Comunicação
Karin Villatore
Mtb 2815
(41) 3018-5828 / 9963-4250/ 9681-7075
karin@talkcomunicacao.com.br
www.talkcomunicacao.com.br
www.twitter.com/talkcomunicacao
talkcomunicacao.wordpress.com
http://www.facebook.com/TalkAssessoriaDeComunicacao

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.