Uveíte não infecciosa, terceira maior causa de cegueira no mundo, tem novo tratamento aprovado

A AbbVie, companhia biofarmacêutica global, anuncia que as agências regulatórias da Europa (EMA – European Medicines Agency) e Estados Unidos (FDA – Food and Drug Administration) aprovaram o uso de adalimumabe para o tratamento de uveíte não infecciosa (nas formas intermediária, posterior e  panuveíte) de pacientes adultos que não tenham apresentado resposta adequada à terapia com corticosteroide  ou de pacientes para os quais os corticoides não são indicados. O medicamento também pode diminuir o uso de corticoide em pacientes dependentes de corticosteroide.   Com estas aprovações, adalimumabe passa a ser a primeira terapia biológica aprovada  para uveíte não-infecciosa na Europa e nos Estados Unidos. No Brasil, o medicamento já foi submetido para a aprovação da agência regulatória local (ANVISA) para o tratamento de uveíte não-infecciosa, intermediária posterior e pan-uveíte em pacientes adultos (adalimumabe ainda não está aprovado no Brasil para o tratamento de uveíte não-infecciosa).

A uveíte não infecciosa forma um grupo de doenças caracterizadas pela inflamação  da úvea, a camada intermediária do olho.  Pode causar redução ou perda da visão e é a terceira principal causa de cegueira em todo o mundo. Não existem, até o momento, recomendações de tratamento universalmente aceitas para uveíte não infecciosa e, antes desta aprovação, oftalmologistas e reumatologistas, contavam com opções limitadas de tratamento.  Corticosteroides são a principal base atual de tratamento depois que determinadas condições, como infecção, são descartadas. Contudo, os corticosteroides podem não ser eficazes em todos pacientes e podem provocar efeitos adversos em longo prazo, incluindo glaucoma e cataratas. Alguns pacientes são portadores de determinadas doenças que contra-indicam o uso de corticoesteroides.

 

Sobre  a AbbVie

A AbbVie é uma companhia  biofarmacêutica global com foco em pesquisa, formada em 2013, a partir de sua separação da Abbott. A missão da companhia é usar seu conhecimento, equipes dedicadas e estratégia em inovação, para desenvolver  e comercializar terapias avançadas que atendam as necessidades de algumas das mais sérias e complexas doenças do mundo. Junto com sua subsidiária Pharmacyclics, a AbbVie emprega mais de 28.000 pessoas em todo o mundo e comercializa seus medicamentos em mais de 170 países.  Para mais informações sobre a companhia, sua equipe, portfólio e compromissos, acesse www.abbvie.com.  Siga @abbvie no Twitter, ou conheça nossas oportunidades de carreira em nossas páginas no Facebook ou LinkedIn.

 

No Brasil,  a AbbVie iniciou suas operações no começo de 2014 e conta com uma equipe de aproximadamente 350 pessoas. Suas áreas de negócios no país incluem imunologia, neonatologia, virologia, oncologia, anestesiologia, endocrinologia e nefrologia.  Entre suas áreas de especialidade, a AbbVie desenvolve, no Brasil, mais de 20 estudos clínicos, envolvendo um total de mais de 1.800 pacientes em 120 centros de pesquisa.  Para informações adicionais, acesse www.abbvie.com.br

Referências

Durrani OM, Tehrani NN, Marr JE, Moradi P, Stavrou P, Murray PI. Degree, duration, and causes of visual loss in uveitis. Br J of Ophthalmol. 2004;88(9):1159-1162. <felipe.gier@spmj.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.