Com estímulo à inovação, empresários do Oeste do PR comemoram resultados

De segmentos variados, 500 empresas da região participam do Programa Agentes Locais de Inovação até o final do ano; novas ideias geraram aumento de competitividade dos pequenos negócios participantes

Mesmo em tempos de instabilidade econômica, empresas do oeste paranaense estão ampliando mercado e angariando novos clientes. Prova disso, são os relatos dos participantes do ciclo 2014/2016 do Programa Agentes Locais de Inovação (ALI), iniciativa do Sebrae/PR junto ao o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O programa incentiva o desenvolvimento de ações inovadoras nas micro e pequenas empresas, por meio de consultorias, orientações, capacitação e, neste ciclo, atende gratuitamente 500 pequenos negócios da região até o final do ano.

“No final de 2014, o agente de inovação bateu à nossa porta. Ele nos apresentou o ALI e logo ‘agarramos’ a ideia. Veio no momento certo, pois era a fase em que começávamos a sentir a crise chegar”, conta o empresário Divaldo Antonelli, que há 12 anos administra uma indústria e instalações comerciais em Cascavel. “As vendas estavam diminuindo pouco a pouco, até que meus vendedores, que trabalhavam por comissão foram me deixando na mão. Como eu iria vender sem equipe de vendas? Foi aí que as orientações do ALI fizeram toda a diferença”, relata.

No caso do restaurante do Roberto Dias da Silva, empresário de Foz do Iguaçu, a crise não era o problema. “Estamos há cinco anos no mercado e já estávamos ficando acomodados. Aí chega alguém de fora e nos mostra que é preciso melhorar, mesmo que já esteja bom. O ALI nos ajudou a sair do comodismo, a pensar diferente, a criar novidades, mas com planejamento, pensando em dar certo. O que eu achava que já estava bom, conseguimos deixar ainda melhor com as novas ideias em prática. Foram mudanças grandes, a olhos vistos”, ressalta Roberto.

Enquanto a busca pela sobrevivência incentivou o empresário de Cascavel a inovar, a vontade de superar resultados impulsionou o empresário de Foz do Iguaçu. Divaldo Antonelli resolveu o problema que tinha com a falta de vendedores com a venda pela internet e Roberto Dias da Silva ampliou em um dia o atendimento do restaurante, criando, até mesmo, identidade própria para a expansão, com o “Domingo da Família”. “Neste dia, fechamos nosso estacionamento para encher de brinquedos para as crianças se divertirem. É um dia dedicado ao almoço em família”, declara.

Já para Divaldo, a nova maneira de chegar até os clientes foi a solução para continuar no mercado. “O investimento financeiro foi pequeno, mas os resultados imediatos. Depois de passar algum tempo ‘apavorado’ com a baixa nas vendas, o agente local veio com essa ideia de expormos mais a empresa na internet. Com envio de mala-direta por e-mail e anúncios no Google e Facebook, começaram a surgir os pedidos. Antes, precisávamos gastar bem mais para ir até esse possível cliente e apresentar nossa empresa. Hoje, ele a conhece por meio das ações digitais”, explica o empresário.

Oportunidade

A empresária de Toledo, Vera Lucia Henning Fávero, também integra o grupo das empresas atendidas pelo ALI. E também conseguiu abrir portas pensando em inovação. “Além de termos melhorado processos, como a implantação dos 5S e mapeamento de processos, nos atentamos para um novo mercado, que são as prefeituras. Há cerca de três meses começamos a mapear as oportunidades de editais e toda semana estamos em algum processo de licitação. Fomos vencedores em 70% dos que participamos”, aponta a empresária que atua no setor de mecânica e peças de caminhões.

Outra ideia que surgiu a partir das orientações do Programa, complementa Vera, foi a criação de um prêmio que incentive os funcionários a inovar. “Nesta terça-feira (30), lançamos o Prêmio Truck Diesel Inovação aos colaboradores. Eles têm até setembro para inscrevem ideias de inovação para a empresa. Em dezembro faremos a seleção das propostas e no início do próximo ano colocaremos em prática as sugestões dos funcionários. Como estímulo, os ‘donos’ das ideias selecionadas ganharão 5% do lucro ou a redução de custos que a empresa tiver com a inovação proposta”, detalha.

Ações

Segundo a consultora do Sebrae/PR, Nara Regiane Pick, o Programa ALI pretende incutir a cultura de inovação nas pequenas empresas. “O grande resultado está em potencializar as empresas participantes, elevando o grau de maturidade da gestão incentivando as suas equipes a desenvolverem atitudes inovadoras, desde as simples, que demandam criatividade em resolver um gargalo, até as mais complexas, que exigem mais tempo e investimento. O importante, é que esses empresários ampliem a visão que têm sobre inovação e vejam como algo rotineiro dentro da empresa”, enfatiza.

Neste ciclo, que encerra no final deste ano, o grupo implantou 2,5 mil ações de melhoria, 36 empresas receberam alguma certificação em selos ou programas de qualidade e conseguiram mais de R$ 1 milhão em subsídio para investimentos em inovação por intermédio do Sebratec – Serviços em Inovação e Tecnologia, do Sebrae/PR. “Como o programa tem duração de dois anos, os participantes recebem acompanhamento desde o diagnóstico do negócio, auxílio para o plano de ações de melhorias até a implantação das inovações. Tudo de maneira individualizada, dentro da empresa”, frisa Nara Pick.

Na edição 2014/2016, foram contempladas 500 empresas de dez setores: agroindústrias e restaurantes, automecânicas, construção civil, logística e transportes, metalmecânico e implementos agrícolas, moveleiro, panificadoras e pequenos mercados, software, turismo e vestuário. “Além do acompanhamento in company, o grupo participou de diversas capacitações, como workshops, clínicas tecnológicas, oficinas, consultorias especializadas, além de apoio na participação em feiras e eventos, criação de núcleos setoriais, visitas técnicas, rodadas e encontros empresariais”, reforça a consultora.

As próximas ações já programadas antes da conclusão do Programa são as oficinas sobre elaboração de projetos de inovação, nos dias 22 e 23 de setembro, a fim de ampliar o conhecimento dos empresários a buscar recursos em editais de inovação. Antes das oficinas, no dia 15 de setembro, os empresários estão convidados a participar de uma rodada de negócios entre empresas que tem interesse em inovar e empresas prestadoras de serviços em inovação, como design, marketing digital, métodos e técnicas de produção, registro de marcas e patentes, sustentabilidade, dentre outras.

Mais informações sobre o Programa Agentes Locais da Inovação, bem como inscrições à rodada de negócios e oficinas podem ser solicitadas pelo telefone (45) 3321-7050, do Sebrae/PR em Cascavel.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.