Nos seis primeiros meses de 2016, 40% dos colaboradores da empresa de tecnologia NHS fizeram algum tipo de capacitação

Empresa de tecnologia NH apostas em companhia de incentivo à qualificação da mão de obra para garantir continuidade da excelência do setor.

Buscando incentivar e obter mão de obra cada vez mais qualificada, a NHS, empresa especializada na fabricação de nobreaks no Brasil parece estar no caminho certo. De janeiro a junho deste ano, 94, dos 243 funcionários da companhia participaram de algum tipo de curso de formação e se qualificaram ainda mais.  O volume representa praticamente 40% do total de colaboradores da empresa.

De acordo com a coordenadora de Recursos Humanos da NHS, Elisabete Schuster, incentivar a constante qualificação, com conhecimento técnico e estratégico é fundamental para qualquer empresa que deseja demonstrar excelência e qualidade nos produtos e/ou serviços oferecidos. “É importante fazer com que todos os funcionários sejam conhecedores em suas áreas de atuação, seja essa formação ou capacitação prévia, seja ela promovida pela empresa”, comenta a gestora.

Segundo Elisabete, o estímulo acontece através das diversas parcerias com escola e programas de treinamentos. “A prática de treinamento pode ser disseminada dentro de toda a empresa de tal forma que qualquer colaborador possa buscar aprimorar seus conhecimentos frequentemente”, salienta.

O encorajamento à qualificação contínua de mão de obra é visto com bons olhos pelo mercado. “Acreditamos que a valorização dos funcionários e o desenvolvimento constante dos colaboradores podem ser fatores que colocam a empresa em condições competitivas, argumenta a especialista.

E na hora de concorrer a uma vaga de trabalho?

Em alguns casos, a especialização não é necessária na hora da contratação para uma oportunidade de trabalho. De acordo com Elisabete, há uma relatividade quanto ao tipo de vaga, pois existem postos com a necessidade de conhecimentos prévios específicos, e outras sem tais necessidades.

“As empresas precisam ter condições de capacitar seus colaboradores para o exercício das atividades que não requerem a necessidade de conhecimento prévio. Entretanto, mesmo nos cargos com obrigatoriedade de formação, capacitação e qualificação prévia e específica, as empresas têm a necessidade de formar seus profissionais, ainda que seja para transferir suas culturas,   filosofias, práticas  e  ou ferramentas.  Um exemplo disso é a Filosofia Lean, aplicada pela NHS e pouco difundida no mercado de trabalho”,  explica.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.