Novas regras flexibilizam prazos de imóveis comprados na planta

Mais segurança jurídica para construtoras e compradores de imóveis – com esse objetivo, foi assinado o Pacto Global para Aperfeiçoamento das Relações Negociais entre Incorporadores e Consumidores, no final do primeiro semestre deste ano. O documento, chamado de “Pacto Global”, busca evitar práticas abusivas em contratos de compra e venda de imóveis e deve ser aplicado em todo o Brasil a partir de janeiro de 2017. Questões comuns no setor imobiliário como a desistência de compra, atraso na entrega da obra, prazo de garantia e inadimplência são alguns dos temas abordados.

O acordo foi realizado entre a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Associação Brasileira das Incorporadoras (ABRAINC), a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), a Associação Brasileira dos Advogados do Mercado Imobiliário (ABAMI), a Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON) e representantes do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro-RJ (TJRJ).

Pontualidade na contramão do mercado

Com vários empreendimentos e obras corporativas realizados na construção civil ao longo de 51 anos de história, a construtora paranaense A.Yoshii é um exemplo de pontualidade em um setor marcado por atrasos e descumprimentos contratuais.  Estatísticas do Procon PR mostram que as três principais reclamações do setor são: vício de qualidade (mal executado, inadequado, impróprio), serviço não concluído/fornecimento parcial e serviço não fornecido (entrega/instalação/não cumprimento da oferta/contrato). O órgão orienta que os compradores busquem informações sobre a empresa antes de firmar o contrato de compra. Multas em caso de atraso ou qualquer outro descumprimento contratual também servem de garantia para ambos os lados.

No caso da A.Yoshii, cautela e qualidade são marcas características da empresa que se orgulha de entregar os empreendimentos no prazo. Na opinião do diretor de Incorporação da A.Yoshii, Silvio Muraguchi, os números falam por si. “Nosso histórico mostra o cuidado que temos com nossos clientes. Entregamos diversas obras com antecedência e com a qualidade prometida”, afirma. A empresa já entregou mais de quatro mil apartamentos nas cidades de Maringá, Londrina, Arapongas e Apucarana. Para o segundo semestre deste ano está prevista a entrega de mais quatro empreendimentos. “Temos orgulho em conquistar a satisfação dos nossos clientes. Expandimos para a capital do estado com o mesmo padrão de qualidade”, comenta Muraguchi. A A.Yoshii chegou em Curitiba em 2015 com o empreendimento Maison Heritage Ecoville, com conclusão prevista para 2019.

 

Sobre o Grupo A.Yoshii

A A.Yoshii Engenharia foi fundada em 1965 pelo engenheiro civil Atsushi Yoshii, em Apucarana (PR) e transferiu sua sede para Londrina (PR) em 1979. No início, cresceu executando obras pelo regime de empreitada global para clientes como Banco América do Sul, Casas Pernambucanas e Banco Itaú. Atingiu outras cidades do País, como Recife, Salvador, Brasília, São Paulo e Porto Alegre e hoje tem no seu currículo obras como, Klabin, Dow Química, CMPC, entre outras. Com inúmeros empreendimentos residenciais realizados nas principais cidades do Paraná, se destaca pela qualidade e pontualidade na entrega. Em 2009, foi criada a Yticon, marca do grupo que foca no desenvolvimento de empreendimentos econômicos para quem procura seu primeiro imóvel. Em 2010 a A.Yoshii iniciou suas atividades em Maringá e, em 2015, em Curitiba.

Uma das características marcantes da empresa é atuar sempre com equipe própria na execução de obras. Com isso, a A.Yoshii se diferencia pela qualidade dos projetos, respeito aos prazos e atendimento ao cliente. O resultado figura em premiações e rankings: em 2016 foi reconhecida por profissionais do mercado imobiliário e de marketing do Brasil como o melhor stand de vendas do país no terceiro ano do Prêmio VivaReal. Foi reconhecida em 2015 pelo ITC, como as 100 maiores construtoras do Brasil e a maior construtora na categoria regional residencial sul. Em outubro de 2015 o Grupo A.Yoshii foi eleito o terceiro melhor em Gestão de Pessoas na categoria de 3 mil a 7 mil funcionários, de acordo com o jornal Valor Econômico. Em 2014 a construtora foi classificada entre as 150 melhores empresas para trabalhar, segundo a revista Você S/A. (centralpress)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.