OPINIÃO / Faltam 100 dias para 2017 / Luciana Lenzi*

No mês de setembro, mais precisamente a partir do dia 22, faltarão apenas 100 dias para o término de 2016, momento propício para realizar avaliações e redirecionar algumas ações propostas no início do ano. É comum, no mês de janeiro, estabelecer planos e listas de desejos para o ano que se inicia, mas a maioria das pessoas tem dificuldades para colocá-los em prática.  Antes de tentar fazer tudo o que não foi feito nos meses passados, é importante analisar porque alguns objetivos listados não foram atingidos.

Muitas vezes, ao estabelecer desejos e objetivos, as pessoas estão tomadas por pensamentos e imagens mentais positivas, e têm a crença que seus planos serão realmente alcançados. Porém, não levam em consideração suas rotinas diárias – sejam elas pessoais ou familiares – e não estabelecem meios para conquistá-los. A ansiedade em atender as demandas pessoais e ainda manter o foco nos objetivos faz com que muitos planos não sejam tirados do papel. Ter a percepção de que é necessário estipular objetivos claros, com metas específicas e dentro da realidade, possibilita pensar em como colocá-los em prática, antecipar obstáculos e enfrentá-los sem desistir com controle emocional.

As metas devem ser motivadoras e de interesse pessoal, tornando-se um desafio e passíveis de realização. Uma proposta que não é do seu interesse se torna frustrante e desinteressante. Além disso, definir prazos é um fator imprescindível para a realização das metas. Elas podem ser a curto prazo (programadas para uma semana ou um mês), ou médio e longo prazos (de três meses a um ano, por exemplo).

 Considerando estes fatores, e analisando as listas de desejos e planos, é possível perceber que com um planejamento adequado, controle emocional e persistência, aqueles tópicos que pareciam apenas sonhos, podem ser transformados em metas realizáveis. Vale lembrar que os objetivos traçados não se encerram com o final de um ano, eles podem ser restabelecidos e também renovados a cada meta conquistada.

Como ainda faltam 100 dias para o ano de 2016 terminar, ainda dá tempo de colocar muita coisa em prática!

 

*A psicóloga Luciana Lenzi é integrante da área de Psicologia do Hospital VITA – CRP 08/11975

Central Press

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.