Saiba como a garganta inflamada pode afetar a saúde do coração

Mudanças de temperatura, clima seco e a baixa imunidade são fatores que intensificam as chances de um incômodo muito comum se desenvolver, a famosa dor de garganta. No entanto, um fator que é pouco discutido e um tanto perigoso é que as infecções de garganta, quando bacterianas, podem desencadear a febre reumática. E essa condição pode trazer consequências à saúde do coração.

De acordo com o otorrinolaringologista da Clínica Dolci em São Paulo, Dr. Eduardo Landini Lutaif Dolci, a dor de garganta está ligada a distúrbios na parede da laringe, amígdalas ou faringe. E existem duas maneiras de designar a doença, as virais e as bacterianas. “É muito importante tratar cuidadosamente as infecções bacterianas, pois, entre suas complicações estão a escarlatina, condição caracterizada pela disseminação de uma erupção vermelha brilhante que envolve o corpo. E o Pós Glomerulonephritis, que refere-se a inflamação dos pequenos filtros no rim (glomérulos).Isso ocorre porque a infecção provoca um excesso de produção de anticorpos no corpo e estes anticorpos tendem a se estabelecer em pequenos filtros nos rins, causando a inflamação. Ainda podem levar a outros problemas no organismo, como a febre reumática”, explica o especialista.

Segundo o coordenador da Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular e coordenador das Unidades de Terapia Intensiva do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro, Dr. Elcio Pires Junior, a febre reumática é uma resposta autoimune do corpo contra a infecção das amígdalas pela bactéria streptococcus. “Os principais sintomas da doença são sentidos nas articulações, no coração e no sistema nervoso central. Porém, quando a condição não é identificada previamente, o mais comum é descobrir a doença só depois que o coração já está comprometido”, comenta Elcio.

Ainda segundo Elcio, quando a infecção de garganta não é curada corretamente, a inflamação ataca o músculo cardíaco e acentua os riscos de sopros e aumento do coração. Além disso, é perigoso acometer ainda, a membrana que envolve o coração causando pericardite.

Para evitar situações como essa, é recomendável que os pacientes sigam corretamente as indicações do médico durante o tratamento de dores degarganta para que a infecção seja totalmente curada. Além disso, é necessário estar em dia com os exames de rotina, assim, é mais fácil a descoberta de doenças cardíacas e, assim, obter um tratamento com mais sucesso e menos riscos.

Sobre o especialista: Dr. Eduardo Landini Lutaif Dolci é sócio da Clínica Dolci ­ Otorrinolaringologia e Cirurgia Estética Facial, em São Paulo; Professor Instrutor de Ensino do Departamento de Otorrinolaringologia da Santa Casa de São Paulo; Membro titular da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial; Membro eleito da Comissão de Residência e Treinamento da Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-­Facial; Membro titular da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face. www.facebook.com/clinicadolci

Sobre o especialista: Dr. Elcio Pires Júnior é coordenador da Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular e coordenador das Unidades de Terapia Intensiva doHospital e Maternidade Sino Brasileiro. É membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro internacional da The Society of Thoracic Surgeons dos EUA. Especialização em Cirurgia Cardiovascular pela Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência de São Paulo e Pós Graduação em Cirurgia Endovascular e Angiorradiologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. facebook.com/Dr-Élcio-Pires-Júnior-Cirurgião-Cardíaco

<contato@medellincomunicacao.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.