Brasileira ainda não se conscientizou sobre a importância da mamografia na prevenção do câncer

Novos casos de câncer de mama podem chegar a 58 mil até o fim do ano

Outubro é lembrado por ser o mês de prevenção do câncer de mama. Só neste ano, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), deverão ocorrer cerca de 58 mil novos casos da doença e 14 mil mortes. Uma das formas de diagnosticar precocemente a doença é por meio da mamografia, no entanto, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo IBGE, 40% das mulheres brasileiras entre 50 a 69 anos não faz o exame – porcentagem muito abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, que é de 70%.

“A realização da mamografia aumenta a chance do diagnóstico em estágios iniciais e com melhores e maiores chances de cura. Essa prática de diagnóstico precoce ajuda a aumentar a sobrevida das pacientes”, afirma o oncologista do Instituto de Hematologia e Oncologia Curitiba (IHOC), Dr. Elge Werneck Junior.

De acordo com diretrizes médicas internacionais, explica o oncologista, a mamografia entre mulheres que tem 50 a 69 anos, devem ser realizadas anualmente. “Também podem ser feitas a ultrassonografia e a ressonância nuclear magnética das mamas, métodos complementares quando há questões duvidosas no laudo da mamografia”, esclarece. Para o tratamento, podem ser recomendados: cirurgia, quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia. “O tratamento será escolhido de acordo com cada caso, que é avaliado individualmente e analisado todas as características da doença e da paciente.”

Câncer X tumores benignos
O especialista explica que o câncer de mama é caracterizado pelo crescimento de células anormais no tecido mamário, sendo que a maior parte desses tumores têm origem nos ductos das mamas. “Os nódulos surgem no tecido mamário a partir de uma mutação presente nas células da mama. Essas mutações podem ser trazidas da mãe como podem ser adquiridas durante a vida, precipitadas pelos hábitos do dia a dia”, ressalta.

O médico esclarece que o termo “câncer” é sempre usado para denominar doença maligna. “Tumores benignos são frequentes nas mamas, normalmente chamados de fibroadenomas, e têm características e tratamento completamente distintos em relação ao câncer”, diferencia.

Embora não existam formas totalmente efetivas de prevenção do câncer de mama, hábitos saudáveis sempre colaboram para a manutenção da saúde. “A melhor forma de prevenção da doença é ter uma alimentação saudável rica em frutas, verduras e legumes e pobre em gordura animal; praticar exercício físico regularmente, evitar a obesidade, o tabagismo e o álcool. Pacientes que têm histórico familiar em primeiro grau com câncer de mama devem dar ainda mais atenção a esses cuidados”, ensina Dr. Werneck Junior e emenda: “Previna-se e faça exames mediante orientação do seu médico. Essa é a melhor forma de viver mais.”


Sobre IHOC
Fundado em abril de 2000, o Instituto de Hematologia e Oncologia Curitiba (IHOC) é um centro de tratamento médico multidisciplinar, com foco no tratamento de pacientes portadores de neoplasias e doenças hematológicas.

A clínica preza pelo atendimento ao paciente hemato-oncológico dentro dos padrões mais elevados de respeito e ética, buscando a excelência com a adoção das técnicas mais avançadas oferecidas pela Medicina. Mais informações pelo site: www.ihoc.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.