Últimas

Como é o tratamento para Epidermólise Bolhosa?

2510-dia-mund-c-eb

Você já parou pra pensar como seria a sua vida se precisasse se preocupar diariamente com a sua pele? Se a cada pequeno atrito surgisse uma ferida? Se, ao sair na rua, se deparasse com preconceito e olhares estranhos? Pois é… Essa é a rotina de portadores de Epidermólise Bolhosa, uma doença rara, com causa genética e não contagiosa.

Também conhecida como EB, a doença torna a pele e as mucosas muito frágeis, o que faz com que surjam bolhas e feridas em resposta ao menor atrito ou trauma. “A formação de bolhas e erosões pode surgir em qualquer parte do corpo, principalmente nas que ficam expostas a atritos, como mãos e pés”, destaca Antônio Rangel, enfermeiro estomaterapeuta da Membracel. As lesões causadas pela EB podem ter conseqüências graves, como cicatrizes como as de queimaduras, redução da abertura bucal, estreitamento do esôfago, anemia, junção dos dedos dos pés e das mãos (sinéquia) e queda do cabelo por lesões no couro cabeludo.

A EB ainda não tem cura e, portanto, a prevenção de traumas e a escolha pelo tratamento ideal é o melhor caminho para amenizar os sintomas, minimizando a dor e melhorando a qualidade de vida. O paciente necessita de cuidados constantes, como a limpeza dos ferimentos, fisioterapia e, normalmente, a utilização de curativos especiais que promovem a cicatrização e protegem contra novas lesões. “É fundamental utilizar produtos que estimulem a epitelização e diminuam a manipulação da área lesionada, prevenindo infecções. O tratamento por meio do curativo feito com a Membrana Regeneradora Porosa, por exemplo, tem se mostrado uma excelente alternativa, já que acelera o processo cicatricial e diminui instantaneamente a dor” conclui Rangel.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*