Perda auditiva é uma das causas do zumbido

Barulho semelhante ao de uma panela de pressão, chiados ou até mesmo sons de cigarra: esses são alguns dos relatos de pacientes que sofrem com o zumbido, problema que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta mais de 250 milhões de pessoas no mundo – no Brasil esse número chega a quase 30 milhões.

Segundo o otorrinolaringologista Diego Malucelli, da Otorrinos Curitiba, o zumbido pode acontecer em qualquer faixa etária, mas a incidência maior é nos idosos acima de 70 anos. O especialista também alertou para as principais causas do problema.

“As principais causas do zumbido podem estar relacionadas à perda auditiva, ao acúmulo de cera nos ouvidos, à má circulação sanguínea, a otites e à disfunção da articulação da mandíbula com o crânio.  Também não podemos esquecer que o estresse, a depressão, o uso de alguns medicamentos como AAS, anti-inflamatórios e antibióticos e uma dieta alimentar inadequada contribuem para o quadro”, complementou o médico. Em alguns casos, o zumbido pode estar relacionado a outras doenças, desde alterações metabólicas como o diabetes, alterações da tireoide, aumento do colesterol e até alguns tipos de tumores.

Pacientes que ficam muito tempo expostos a sons muito altos podem ter mais chances de desenvolver o problema. De acordo com o doutor Diego, a exposição a sons de grande intensidade sem a proteção auditiva adequada pode causar a perda auditiva, que é uma das principais causas do zumbido.

Prestar atenção na alimentação está entre os cuidados necessários para quem quer ficar longe desse problema. “A cafeína, que está presente no café, em alguns chás e refrigerantes, contribui bastante para a geração do zumbido. Além disso, o consumo excessivo de açúcar e sal, o abuso do álcool e do cigarro, e até mesmo o excesso de chocolate interferem. Portanto, o consumo consciente dos alimentos é fundamental”, finalizou o especialista.

Sobre Diego Malucelli

Diego Malucelli é médico otorrinolaringologista, especialista pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (SBORL) e Mestre em Distúrbios da Comunicação pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). Possui MBA em Gestão de Negócios em Saúde pela Universidade Gama Filho e é especialista no tratamento de halitose. É professor da UTP, preceptor de Faringoestomatologia do serviço de especialização em Otorrinolaringologia do Hospital da Cruz Vermelha, além de Chefe do Serviço de Otorrinolaringologia no mesmo hospital.

 

Sobre a Otorrinos Curitiba

A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 9h às 13h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

 

Serviço:
Otorrinos Curitiba
Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês
Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084

Site: www.otorrinoscuritiba.com.br

 

unnamed-2
A exposição a sons de grande intensidade pode causar a perda auditiva.

gezianediosti@gmail.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.