Prevenção é a melhor aliada para evitar a gastroenterite durante os meses de calor

A gastroenterite, conhecida popularmente como GECA, é uma inflamação aguda da mucosa intestinal que provoca diarreia, cólica abdominal, enjoo, vômitos e febre. Durante os meses mais quentes do ano o número de casos aumenta. A infectologista e clínica médica da Cardio&Saúde, Dra. Maria Inez Domingues Kuchiki, conta que a causa da GECA pode ser por vírus ou bactérias, sendo mais comum o rotavírus e bactérias relacionadas com alimentos, como a salmonella, encontrada em frangos e ovos crus. Alimentos conservados com pouca higiene e sem refrigeração podem favorecer o acúmulo de micro-organismos que causam a gastroenterite. “Os casos aparecem mais no verão porque as bactérias se propagam mais facilmente nos alimentos, já que o calor é um meio propício para o desenvolvimento dessas bactérias.”

Os principais sintomas são dor de barriga (cólica abdominal), diarreia (mais de seis evacuações líquidas por dia), febre e vômitos. A forma de prevenção ideal é a lavagem das mãos e o cuidado com os alimentos (refrigeração e limpeza). Usar somente água mineral. Evitar contato com a água do mar contaminada com coliformes fecais. Existe uma vacina específica para o rotavírus que já está disponível na rede pública para as crianças. Adultos só encontram a vacina em clínicas particulares. “A população conhece as medidas de prevenção, mas mesmo tendo conhecimento, as pessoas não se previnem 100% do tempo e acabam adoecendo”, ressalta a especialista.

O tratamento depende da causa. Se é viral, não existe remédio específico, o principal é a reposição de água e eletrólitos, sendo o soro caseiro mais utilizado nesses casos. A receita é um copo de água, uma colher de café de açúcar e uma pitada de sal. O paciente deve tomar o soro diversas vezes ao dia. Quando a causa da GECA é bacteriana, o mais indicado é a utilização de antibióticos. “Somente um médico pode dizer qual a terapia mais eficaz para cada caso, bem como a quantidade correta e o tempo que o paciente ficará em tratamento. A população deve ficar atenta às formas de prevenção, evitando comer alimentos em estabelecimentos que não tenham a higiene adequada. Durante o verão, os alimentos devem ser consumidos preferencialmente cozidos, principalmente os ovos. A higiene pessoal também deve ser redobrada, uma vez que também pode transmitir os vírus”, finaliza a infectologista.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.