SAÚDE OCULAR 11 Questões sobre Olho Seco

A poluição, o excesso de exposição ao sol, o vento, ar condicionado ou ambientes que, de alguma forma tornem o ar mais seco, lentes de contato, fumaça de cigarro, tempo em excesso na frente do computador, uso de maquiagens de baixa qualidade e clima seco  são alguns elementos que podem atuar como agentes facilitadores na evaporação das lágrimas e desta forma provocar secura nos olhos.

Para entender melhor o que leva ao desenvolvimento do olho seco, como isso pode prejudicar a acuidade visual e quais os tratamentos indicados para combater este problema, entrevistamos o Dr. Richard Yudi Hida (CRM-SP 87030 e RQE 47076), membro da Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR), Chefe do Setor de Superfície Ocular da USP e Chefe do Setor de Catarata da Santa Casa de São Paulo.

 

1-O que é a síndrome do olho seco?

A Síndrome do Olho Seco (ou Síndrome da Disfunção Lacrimal) é uma doença crônica, caracterizada pela diminuição da produção lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes. A qualidade da lágrima pode ficar alterada quando se altera uma de suas três camadas que a compõem: a de água, a de mucina e a de gordura. É de extrema importância o equilíbrio desses componentes para a saúde da superfície ocular. A camada gordurosa é responsável por não deixar a água evaporar. Se houver deficiência nessa camada, por exemplo, não é possível permanecer com os olhos abertos por mais que 2 a 3 segundos, devido ao excesso de evaporação.

 

2-Quais são os sintomas?

Seus principais sintomas são inespecíficos e são parecidos com sintomas de cansaço ocular: ardência, ressecamento, oscilação ou baixa visão, sensação de areia nos olhos, irritação, coceira, dificuldade em permanecer em frente ao computador ou ar condicionado e olho vermelho ao final do dia.

 

3-Quem são os maiores atingidos pela síndrome (homens, mulheres, crianças, idosos)?

Indivíduos que usam computador/tablet/celular, mulheres, pessoas acima dos quarenta anos e quem usa lentes de contato estão mais propensos ao problema. Acredita-se que essa Síndrome afete cerca de 18 milhões de brasileiros, segundo dados de uma pesquisa da Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco (Apos).

 

4-De que forma as pessoas que trabalham em escritórios, com computadores, ar-condicionado, etc. passam a ser o principal grupo de risco?

Fatores ambientais como poluição, alterações do meio ambiente, umidade, temperatura ou ar condicionado, são os principais causadores do olho seco devido ao aumento da evaporação da lagrima por alterações na sua qualidade. O uso de qualquer dispositivo eletrônico ou não eletrônico que faça com que o individuo permaneça constantemente fixando os olhos por muito tempo, pode causar também a síndrome do olho seco devido à deficiência no piscar, principal ato na estabilização da superfície do olho.

Outros fatores importantes são a maquiagem e doenças sistêmicas.

 

5-Quais são os métodos de prevenção? Quais os tratamentos?

Recomendações específicas para cada tipo de olho seco devem ser diagnosticados antes de iniciar o tratamento, uma vez que cada tipo tem suas peculiaridades na terapêutica. Portanto, a única prevenção é visitar o medico oftalmologista para exames de rotina. De maneira geral, algumas orientações no dia-a-dia devem ser consideradas, tais como:

  1. a) Descanse os olhos: usar computador ou ler por muito tempo força a vista e reduz o número de piscadas. Faça pequenos intervalos direcionando os olhos para um ponto distante. Esse exercício também ajuda relaxar a musculatura responsável pelo foco de perto;
  2. b) Acerte a altura da tela do computador: o ideal é que a tela fique um pouco mais baixa do que a linha do olhar. Os olhos voltados para baixo ficam mais relaxados e menos abertos;
  3. c) Pisque com mais frequência: quando estamos diante de atividades que exigem o olhar mais atento, piscamos menos do que o necessário, o que prejudica a lubrificação da córnea;
  4. d) Beba bastante líquido: assim como os lábios e a pele, os olhos também se desidratam;
  5. e) Use óculos de sol com FPS: eles protegem os olhos de fatores externos que podem irritar a vista, como os raios UVB e o vento;
  6. f) Higienize bem a região dos olhos: retire a oleosidade da pele e resquícios de maquiagem utilizando sabonetes neutros. Esse cuidado evita a danificação da lágrima e o entupimento das glândulas que secretam componentes para a lágrima;
  7. g) Complementação com ômega 3: ele ajuda na composição da camada mais oleosa da lágrima, importante para evitar que ela evapore facilmente;
  8. h) Descanse bem: boa qualidade e quantidade de sono são de extrema importância para descansar os olhos.

 

6-Qual a função das lágrimas artificiais? Qual a função dos colírios umidificadores?

As “lágrimas artificiais” e “colírios umidificadores” são termos utilizados por médicos e pacientes quando se referem a quaisquer colírios prescritos pelo médico oftalmologista com intuito de repor a lágrima natural do indivíduo. Não existe um consenso com relação à nomenclatura. As lágrimas artificiais são colírios que possuem componentes artificiais mais próximos da lágrima e deve ser receitado pelo oftalmologista caso seja diagnosticada a Síndrome do Olho Seco relacionado com a deficiência na produção da lágrima. Portanto, antes de utilizar lágrimas artificiais, um médico oftalmologista deve ser consultado para esclarecer o diagnóstico apropriado. É de extrema importância que não se deve automedicar sem orientação médica.  A utilização sem orientação médica das lágrimas artificiais pode causar outras doenças oculares na pálpebra (blefarites), conjuntiva (conjuntivites) e na córnea (ceratites), como também pode causar dependência das lagrimas artificiais.

 

7-Qual o passo a passo de pingar o colírio?

Cada fabricante tem metodologias e “jeitos” diferentes de aplicação de colírios de acordo com o desenho do frasco, portanto, é de extrema importância seguir as instruções descritas na bula da medicação. É conveniente também solicitar orientação ao médico oftalmologista para esclarecer os meios de uso de cada colírio.

 

8-Como aumentar a absorção ocular do colírio?

Existem componentes específicos em cada tipo de colírio que pode alterar sua absorção. Isso deve ser esclarecido com seu médico para avaliar indicação de cada colírio. Para o paciente, para aumentar sua absorção, orienta-se a instilar o colírio  deitada e permanecer nesta posição durante alguns segundos com os olhos levemente fechados.

 

9-Como reduzir os efeitos colaterais?

Existem efeitos colaterais descritos em todas as medicações oftalmológicas.

Não existe meio de reduzi-los a não ser suspender seu uso e procurar seu oftalmologista para prescrever outra medicação.

 

10-Como evitar a contaminação?

  • Respeitar data de validade da medicação;
  • Seguir de forma restrita das orientações do fabricante;
  • Não encostar o bico do frasco nem com os dedos e nem nas pálpebras;
  • Seguir orientação médica.

 

11-Quais os tipos de colírios que existem e quais as suas funcionalidades?

Existe uma infinidade de colírios disponíveis no mercado mundial e cada um é indicado para cada tipo de doença. Para cada tipo de alteração ocular, o médico oftalmologista deve ser consultado para diagnosticar e prescrever medicação apropriada. O uso inadequado de qualquer colírio pode causar cegueira irreversível.

 

Sobre ABCCR

A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CATARATA E CIRURGIA REFRATIVA (ABCCR) tem sua origem na incorporação da Sociedade Brasileira de Catarata e Implantes Intraoculares (SBCII), fundada em 16 de março de 1982, pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa (SBCR), fundada em 20 de janeiro de 1985. A ABCCR visa congregar oftalmologistas, ampliar o estudo e acompanhar o desenvolvimento de todos os aspectos técnicos e científicos inerentes à cirurgia de catarata, aos implantes intraoculares e da cirurgia refrativa, propagando-os aos oftalmologistas e estendendo seus benefícios à comunidade.  <sandraliz.santos@terra.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.