Tributo a Astor Piazzolla marca nova turnê da Orquestra de Câmara de Blumenau

Oscar dos Reis é o solista e arranjador do concerto

Inicia em 26 de outubro a nova turnê da Orquestra de Câmara de Blumenau: Grandes Intérpretes. O solista convidado da primeira fase é o acordeonista gaúcho Oscar dos Reis, a direção artística é do músico italiano Daniele Girardello e a regência do maestro Daniel Bortolosy. Os concertos são realizados pelo Ministério da Cultura com o patrocínio do Banco Bradesco e percorrerão as cidades de Santa Catarina. As apresentações ocorrerão nos dias 26, 27, 28 e 31 de outubro e 1º de novembro, nas cidades de Joinville, Itajaí, Pomerode, Brusque e Blumenau, respectivamente, às 20h. A entrada é franca e os ingressos serão distribuídos no dia do concerto, por ordem de chegada.

O novo espetáculo é uma homenagem ao compositor argentino Astor Piazzolla e o repertório traz clássicos como: Adiós Nonino, Libertango e Las Cuatro Estaciones Porteñas. “São composições que trouxeram ao tango elementos do jazz e da música erudita”, explica o diretor artístico Daniele Girardello. A execução de “Cuatro Estaciones Portenãs”, um conjunto de quatro composições que Piazzola escreveu entre 1965 e 1970, será o ponto alto do concerto. “O nome portenho refere-se àqueles nascidos em Buenos Aires, capital da Argentina, e com essas composições Piazzolla ilustra os sentimentos dos habitantes durante as quatro estações do ano.”

Todos os arranjos das obras de Piazzolla foram feitos pelo próprio solista, Oscar dos Reis, que se apresenta com o bayan – uma variação russa do acordeom. Mas, a novidade fica por conta de outro instrumento: a guitarra semiacústica. “A guitarra traz uma pulsação diferente, confere um colorido a mais à apresentação. Me parece uma ideia muito feliz”, diz o acordeonista, que somou muitas horas de trabalho para chegar ao arranjo perfeito. “A tarefa é grande, mas a satisfação é maior”, comenta o músico, que completa em 2016, 30 anos como professor de acordeom. Outro nome que se junta ao espetáculo é o violonista Rafael Diniz, que se apresenta com o violão de sete cordas.

Para o público, os músicos prometem um espetáculo ímpar. “É um repertório pouco conhecido, mas de grande importância, com uma sonoridade muito particular, obras com muita profundidade, uma passionalidade que é tão característica da música de Piazzolla, e que marcam muito a nossa história e o nosso temperamento latino”, considera Reis. “Será um grande espetáculo e, com certeza, o público vai gostar muito. O Oscar dos Reis é um dos grandes acordeonistas brasileiros, comprovado pela técnica e virtuosismo, com grande conhecimento interpretativo da música de Piazzolla”, destaca Daniele Girardello.

O concerto também apresentará ritmos bem brasileiros, como Baião, de autoria de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira e Mourão, de César Guerra-Peixe, além de O Burrico de Pau, de Carlos Gomes, que neste ano completa 120 anos de falecimento.

Serviço:
26 de outubro/16 – Joinville – Sociedade Harmonia Lyra, 20h
Endereço: Rua XV de Novembro, 485 – Centro, Joinville

27 de outubro/16 –  Itajaí – Teatro Municipal de Itajaí, 20h
Rua Gregório Chaves, 110 – Fazenda
28 de outubro/16 –  Pomerode Teatro Municipal, 20h
Rua Hermann Weege, 111
31 de outubro/16 –  Brusque – Teatro do CESCB, 20h
Rua Pedro Werner, 180
1º de novembro/16 – Blumenau – Teatro Carlos Gomes, 20h
Rua XV de Novembro, 1181

A entrada é franca e os ingressos serão distribuídos de acordo com a ordem de chegada.


Sobre Oscar dos Reis (solista)
Natural de Sertão Santa/RS, iniciou seus estudos de música com o maestro Antonio Carlos Borges Cunha. Posteriormente estudou na Academia Gnésins, em Moscou onde frequentou as classes dos professores Wiatcheslav  Semionov e Friedrich Lips. Estudou com o professor ucraniano Vladimir Zubitsky, participou de importantes seminários de música para acordeom, ministrados pelos professores Mogens Elegard e Joshep Macerolo. Frequentou o curso de “Atualizacão Pedagógica”, no Centro Internacional de Estudos do Acordeom,em Hondarribia (Espanha).

Como professor tem colaborado para com a formação de jovens acordeonistas em todo Brasil. Foi o pioneiro na difusão do bayan, instrumento de concerto, versão russa do acordeom. Como solista, possui um vasto repertório de obras escritas para acordeom, transcrições de música clássica e composições próprias. Possui vários registros fonográficos, inclusive interpretando obras do grande compositor argentino Astor Piazzolla. Sua versatilidade permite transitar com facilidade do folclore à música erudita.

Sobre Daniele Girardello (diretor artístico)
Natural da região do Vêneto, na Itália, Daniele Girardello desenvolveu intensa atividade musical com diversas orquestras italianas, dentre elas a famosa Orchestra di Câmara di Venezia – “L’Offerta Musicale”. Em 1998, ocupou a cadeira de professor de violino da escola Media Statale (Comacchio) e também ensinou no conservatório G. Frescobaldi, ambos em Ferrara (Itália). Radicado no Brasil desde 2002, tornou-se referência no ensino do violino e atualmente é spalla e diretor artístico da Orquestra de Câmara de Blumenau.

Sobre Daniel Bortolosy (regente)
Um dos mais promissores e atuantes regentes de sua geração, Daniel Bortolosy já trabalhou com diversos grupos sinfônicos brasileiros, além de orquestras na Argentina, Portugal, Itália, Bulgária, Cazaquistão, Inglaterra, República Tcheca, Romênia, Ucrânia e Rússia. Mestre em Artes pela Universidade de São Paulo (USP), esteve à frente da Belgrade Philharmonic Orchestra, em Belgrado, Sérvia, onde executou, pela primeira vez no país, as Bachianas n. 2 e n. 4 de Heitor Villa-Lobos.

Foi o primeiro maestro latino-americano a dirigir a Royal Oman Symphony Orchestra, no Sultanato de Omã, incluindo apresentações particulares para o ex-primeiro ministro britânico Tony Blair. É fundador e diretor artístico do “New Orleans Festival Brasileiro!”, dos Estados Unidos e, recentemente, foi jurado do concurso “Shabyt”, em Astana, Cazaquistão.

Sobre a Orquestra de Câmara de Blumenau
Desde 1981, a Orquestra de Câmara de Blumenau já realizou diversas turnês pelo Brasil e exterior, com apresentações nas mais famosas salas de concerto da Europa, como Smetana de Praga e o Mozarteum de Salzburgo. A Orquestra também tocou ao lado de grandes nomes da música mundial, entre eles, Jean Pierre Rampal, Maurice André, Ingrid Haebler, Arthur Moreira Lima, Paulo Bosísio, Helena Jank, Antônio Meneses, Domenico Nordio e Renato Borghetti.

Na última década, entrou numa nova fase com a direção artística do violinista italiano Daniele Girardello, adaptando-se à nova dinâmica do fomento à cultura. Por meio de recursos captados, através de projetos de incentivo, já realizou inúmeros concertos, incluindo duas turnês nacionais; apresentou-se com solistas e maestros convidados de destaque como Luiz Henrique Beduschi, Álvaro Siviero, Derico Sciotti, Michael Debost, Rita Costanzi e João Carlos Martins.

Facebook: www.facebook.com/orquestradecamaradeblumenau.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.