Dia Mundial da Prematuridade: saiba quais os cuidados após a alta hospitalar

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) estimam que, todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças nascem antes de completar 37 semanas de gestação no mundo. Embora os avanços tecnológicos e científicos recentes tenham aumentado as chances de sobrevida dos prematuros, é fora do ambiente hospitalar que surgem muitas dúvidas sobre quais cuidados devem ser mantidos após a alta da UTI, como a continuidade do acompanhamento por uma equipe multiprofissional como pediatra, neurologista pediátrico, um pneumologista, um endocrinologista, um oftalmologista, um fisioterapeuta, um fonoaudiólogo, entre outros, que irão trabalhar juntamente para que a experiência da prematuridade seja a menos traumática possível.

Por isso, neste dia 17 de novembro, conhecido como o Dia Mundial da Prematuridade, a médica Gislayne Souza Nieto, Chefe da UTI Neonatal do Hospital e Maternidade Santa Brígida, esclarece alguns dos principais pontos que deixam os pais e cuidadores hesitantes. “Quando a equipe médica anuncia a alta, o que deveria ser um sonho se realizando, muitas vezes se torna fonte de inseguranças, na qual se misturam alegrias, medos e fantasias. E surgem muitas perguntas, que devem ser respondidas de forma clara, minimizando qualquer insegurança”, diz.

A médica lembra que médicos especialistas, como os citados acima, além de terapeuta ocupacional, devem ser agendados conforme a frequência e necessidades de cada criança na alta hospitalar. Além disso, casos especiais terão necessidade de outras avaliações, mas as famílias devem saber que serão devidamente orientadas pelos médicos. “É muito comum a sensação de que pode acontecer alguma coisa errada com o bebê, como parar de respirar, se afogar, perder peso ou ter problemas respiratórios. Mas é importante lembrar que um prematuro só recebe alta hospitalar quando está bastante estável há alguns dias, com peso adequado e exames normais e que os cuidados familiares em casa são a melhor maneira de um prematuro se recuperar e se desenvolver plenamente”, ressalta.

Entre as principais dicas, a médica Gislayne Souza Nieto destaca:

1) Evite colocar o prematuro para dormir de barriga para baixo;

2) Evite fumar em casa;

3) Evite lugares fechados e com aglomerações;

4) Evite contato com pessoas doentes e com infecções respiratórias, como tosse ou coriza, por exemplo;

5) Lave as mãos com frequência;

6) Mantenha a carteira de vacina em dia;

7) Sempre transporte o bebê em  cadeira específica para carros;

8) Não permita que o bebê durma na cama dos pais;

9)Leite materno é a melhor nutrição para o prematuro;

10)Sejam muito felizes com seu filho prematuro.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.