Drible o preconceito do Câncer de Próstata

Na fase inicial câncer de próstata não apresenta sintomas, por isso homens a partir de 50 anos devem ir anualmente ao urologista para fazer o exame retal

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens – ficando atrás apenas do câncer de pele e a estimativa segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) é que até o final de 2016 mais de 60 mil novos casos sejam detectados.

Segundo o médico urologista do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), Dr. Fernando Meyer, os homens ainda possuem dificuldade em procurar um urologista. “As vezes são as próprias mulheres que os incentivam, e é importante os homens irem ao médico para realizar os exames de prevenção, pois se diagnosticada precocemente a doença, as chances de cura chegam a 90%”, destaca Dr. Fernando.

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas, por isso, mesmo sem queixas, os homens devem a partir dos 50 anos, realizar consultas anualmente. “Se tiver algum caso na família, o paciente já deve fazer os exames aos 45 anos”, explica o urologista.

O exame de toque retal e de sangue, são os indicados pelo médico. “Muitos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal”, relata o urologista. O exame permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, além de solicitar o exame de sangue PSA ( antígeno prostático específico).

Quando a doença está em fase mais avançada, é comum os pacientes relatarem sintomas, como dor óssea e ao urinar, e vontade de urinar com frequência. “Quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura”, diz o médico.

Sobre a doença

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa em média 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma. O surgimento da doença acontece quando as células deste órgão começam a se multiplicar de forma desordenada. Os fatores de risco estão relacionados com idade avançada – acima de 50 anos, histórico familiar da doença, fatores hormonais e ambientais e hábitos alimentares – dieta rica em gorduras e pobre em verduras, vegetais e frutas, sedentarismo e excesso de peso.

Tratamento

O tratamento depende do tamanho e da classificação do tumor, assim como da idade do paciente e pode incluir prostatectomia radical – remoção cirúrgica da próstata, radioterapia, hormonoterapia e uso de medicamentos. Para os pacientes idosos com tumor de evolução lenta o acompanhamento clínico menos invasivo é uma opção que deve ser considerada.

O Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba, foi o primeiro hospital a realizar o procedimento HIFU, sigla em inglês para ultrassonografia de alta frequência e intensidade (HIFU). A tecnologia permite a aplicação de energia acústica em áreas específicas da próstata, e assim, auxilia no tratamento do câncer de próstata.

Assessoria de Imprensa do HNSG

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.