Os riscos das temperaturas elevadas para o coração

Sensação de mal-estar, tonturas e desidratação podem potencializar problemas cardíacos.

Durante os dias mais quentes do ano o organismo perde uma quantidade maior de líquidos e, por essa razão, é importante se manter hidratado. Também existem doenças que já são conhecidas da população e que têm como fatores de risco os dias quentes e a exposição solar, como o câncer de pele, viroses, intoxicações alimentares e dermatites. Porém, poucos conhecem os malefícios que as temperaturas elevadas podem trazer para o coração. Hipertensos e pessoas que tomam remédios para manter a pressão estável devem ficar mais atentos.

O cardiologista e responsável pelo Serviço de Cardio-oncologia da Clínica Cardio&Saúde, Dr. Sanderson Cauduro, explica que uma pessoa de mais idade ou com problemas cardiovasculares os cuidados no verão devem ser redobrados. “Além do indivíduo procurar ficar hidratado, tomando cerca de dois litros de água por dia, é fundamental evitar os picos de calor. Se a pessoa faz exercícios ao ar livre, por exemplo, deve optar pela realização no início da manhã ou final da tarde. Também é importante manter uma alimentação leve e pobre em gordura e fritura que são alimentos de difícil digestão e vão dar a sensação de mal-estar para a pessoa, pois com o tempo quente, é natural que as artérias fiquem mais dilatadas, fazendo com que o sangue tenha mais espaço para circular, e alimentos gordurosos demandam um fluxo de sangue maior para o sistema digestivo e acaba faltando sangue para outras partes do organismo.”

Casos de tonturas e cansaços excessivos também devem ser levados em consideração durante o verão. Pessoas que não apresentam cardiopatia devem observar a quantidade de exercícios que fizeram e se dormiram bem ou não, às vezes esse é o motivo dos sintomas. No entanto, quando trata-se de um cardíaco, pode ser manifestação de insuficiência cardíaca, uma artéria obstruída no coração, arritmia cardíaca ou problema de pressão (baixa ou alta). “Vários sinais cardiovasculares podem ser manifestados com sintomas de cansaços ou tontura. Se forem mais excessivos ou diferentes dos habituais é importante buscar um especialista para verificar o que está acontecendo”, ressalta o cardiologista.

Os hipertensos também devem redobrar os cuidados com a saúde durante as altas temperaturas, porque na maioria dos casos possuem outros problemas crônicos, como diabetes. É importante lembrar que o hipertenso não deve parar de tomar a medicação. “O fato de estar com pressão mais baixa, por exemplo, e parar de tomar o remédio, vai acarretar em outro problema conhecido como rebote, ou seja, quando o organismo sente que a medicação não está de forma adequada e consequentemente aumenta excessivamente a pressão. Mesmo com a pressão controlada a pessoa precisa tomar o remédio e se manter bem alimentada e hidratada”, finaliza Dr. Sanderson Cauduro.


Principais dicas para cuidar do coração no verão:

– Beba no mínio dois litros de água por dia;

– Evite o consumo exagerado de bebidas alcoólicas;

– Opte por alimentos mais leves;

– Evite alimentos gordurosos ou frituras;

– A realização de atividades físicas em locais externos deve ser antes das 9h e após às 17h;

– Tenha uma noite de sono adequada.

SOBRE A CLÍNICA CARDIO&SAÚDE

A Clínica Cardio&Saúde, fundada em 2012, inaugurou recentemente sua nova sede, localizada no edifício Neo Business, no Centro Cívico. Especializada em cardiologia e infectologia, inovou ao criar o Serviço de Cardio-Oncologia, destinado a pacientes oncológicos. Conta com médicos especialistas em exames de imagens (Doppler), Holter digital, check-ups, teste ergonométrico computadorizado, avaliação cardiológica para pacientes oncológicos, risco cirúrgico, atividade física e para concursos públicos.

A especialidade de infectologia da clínica tem por objetivo diagnosticar e tratar as doenças infecciosas agudas causadas por vírus, bactérias e fungos. Com destaque para o tratamento e seguimento de infecções crônicas como hepatite e AIDS/HIV. Orienta e auxilia na prevenção de infecções recorrentes como herpes labial/genital, infecção do trato urinário (ITU recorrente) e foliculite/furunculose de repetição. Faz parte ainda da área de atuação d infectologia, as doenças emergentes de repercussão nacional como dengue e Zika vírus, toxoplasmose (aguda, ocular ou na gestante), mononucleose infecciosa (doença do beijo), pneumonia bacteriana, tuberculose, aspergilose (imunossuprimido).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.