Campanha do Ecad reforça a importância do pagamento dos direitos autorais em festas de fim de ano

Festas de Réveillon e confraternizações de empresa sem música não têm a menor graça. Se a música é a alma do evento, nada mais justo que os criadores das obras musicais que vão animar a festa sejam remunerados. Este é o mote da campanha de fim de ano do Ecad, que busca conscientizar os organizadores destes eventos sobre a importância e obrigatoriedade do pagamento dos direitos autorais das músicas tocadas nestas comemorações antes da realização dos eventos. A campanha, desenvolvida pela agência Frog, conta com vídeos, landing pages e emails marketing segmentados de acordo com o público-alvo, com os temas “Festa da empresa legal” e “Ano novo legal”.

Para os profissionais que organizam festas de confraternização de empresas, a campanha relembra os principais “micos” que as equipes que organizam o evento não querem ver, como funcionários que exageram na bebida ou que mostram suas habilidades de dançarino. O filme ressalta que o maior “mico” de todos é não remunerar os autores das músicas que vão animar a festa. Já o material voltado para os promotores de eventos de Réveillon reforça a importância da música nesses eventos, pois ela anima e emociona os convidados durante toda a festa e marca a passagem do ano.

As landing pages reúnem todas as informações para que os eventos respeitem os autores, explicando a importância da música nestas festas, a diferença entre direito autoral e cachê e o passo a passo que o organizador ou promotor deve seguir para ficar adimplente com a retribuição autoral, além de responder as perguntas mais frequentes. Confira nos endereços www.festadaempresalegal.com.br e www.anonovolegal.com.br.

 

O Ecad atua fortemente na defesa destes direitos com o objetivo de fazer com que a sociedade valorize e reconheça o trabalho dos profissionais da música. Como resultado da sua atuação, em 2015 foram distribuídos R$ 771,7 milhões para 155.399 artistas e associações de música.

 

O Ecad

 O Ecad protege os direitos autorais dos titulares de música (compositores, intérpretes, músicos, editores e produtores fonográficos) que têm suas músicas tocadas publicamente. Seu trabalho é centralizar as atividades de arrecadação e distribuição dos direitos autorais de execução pública musical, além da constante conscientização de toda a sociedade sobre a importância do respeito ao trabalho dos artistas da música. O Ecad é administrado por sete associações de gestão coletiva musical e representa milhares de titulares de obras musicais, nacionais e estrangeiros. Com gestão profissionalizada e premiada, a instituição é considerada referência na área em que atua.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.