Cuidados com a hidratação infantil no verão

Manter o corpo hidratado é fundamental para o bom funcionamento do organismo e, durante o período de temperaturas mais altas os cuidados devem ser redobrados, principalmente, com relação às crianças que, muitas vezes, acabam se distraindo e não consumindo uma quantidade adequada de líquidos e sais minerais, o que pode levá-las à desidratação.

A desidratação ocorre quando uma pessoa perde muito líquido e não consegue repô-lo na quantidade necessária para que as atividades fisiológicas continuem acontecendo de forma satisfatória. No caso das crianças, os pais devem redobrar a atenção, principalmente no verão, pois o calor provoca a perda de líquidos, conforme explica a endocrinologista Myrna Campagnoli, do Laboratório Frischmann Aisengart. “A água representa 75% da massa corporal de uma criança, por isso, são necessários cuidados especiais para evitar quadros de desidratação, causado pelo consumo de líquidos em quantidades inadequadas, mas que também provocadas também devido aos distúrbios gastrointestinais, como vômito e diarreia, febre, sudorese excessiva e rejeição da ingesta de líquidos, provocadas por doenças como a estomatite e a amidalite”, explica a médica.

A diarreia, na atualidade, é a segunda maior causa de mortalidade infantil segundo relatório da UNICEF e da Organização Mundial de Saúde de 2015, e apontada, também, por ser a responsável por 40% das internações das crianças menores de 5 anos. Mesmo que a maioria dos episódios de diarreia sejam leves, os casos mais graves representam uma perda expressiva de líquidos, o que leva à desidratação, e quando os líquidos não são substituídos rapidamente pode levar ao óbito da criança. Mais de 1,5 milhão de crianças, a cada ano, são vítimas da diarreia.

Para ajudar os pais a identificar se a criança apresenta sintomas de desidratação, a médica orienta ter atenção a alguns detalhes, como olhos fundos e olheiras, muita sede, boca seca e pouca saliva, além da diminuição da quantidade de urina, que também pode ficar mais escura e com o cheiro mais forte. No caso de bebês, o afundamento das moleiras. “Se a criança ficar mais quieta e apática, ou muito irritada, chorando sem lágrimas, o responsável deve levá-la imediatamente a um médico, para a realização de exames e início do tratamento”, destaca.

Segundo a médica, os níveis de gravidade da desidratação são variáveis. Nos casos menos graves a criança pode ser tratada em casa, com a ingestão oral de água ou soro de combate à desidratação. Quando isso não é possível, o tratamento deve ser endovenoso. “Nesses casos, se a criança apresentar um quadro de desidratação moderado ou grave, ela deve ser hospitalizada e receber hidratação endovenosa e correção de distúrbios hidroeletrolíticos, quando necessário”, comenta.

Para manter a criança bem hidratada, a médica dá algumas orientações, como oferecer líquido com frequência e cuidados com as roupas, que devem ser leves e adequadas às temperaturas do verão. “Se a criança apresentar quadros de vômito ou diarreia procure atendimento médico imediato. Outro ponto importante é evitar expor a criança a temperaturas muito elevadas, procurar oferecer uma alimentação adequada ao calor sem fugir muito do cardápio habitual, para evitar também possíveis intoxicações alimentares”, completa.

 

Sobre o Laboratório Frischmann Aisengart:

O Laboratório Frischmann Aisengart tem uma história de mais de 70 anos como referência na medicina diagnóstica, contando com mais de 600 colaboradores, 35 unidades de atendimento no estado, realizando em torno de três mil tipos de exames de análises clínicas. Além disso, oferece soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, contando também com o serviço de vacinas. Confira mais informações sobre a empresa no site www.labfa.com.br (Paula Batista)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.