Doenças do coração são responsáveis por 30% das mortes no Brasil; entenda como o stent funciona

Vida corrida, prazos, contas, pressão no trabalho e na família e outros fatores acabam gerando muito estresse, condição que desencadeia problemas cardiovasculares graves e pode levar ao infarto. Além do estresse, a má alimentação, hipertensão, obesidade, falta de sono, colesterol alto, entre outros, também causam doenças no coração.

“Infarto e doenças cardiovasculares são responsáveis por 30% das mortes no Brasil. São cerca de 300 mil mortes anuais, sendo que as mulheres respondem por 30% destes eventos”, alerta o especialista Anis Mitri, cardiologista do CECAM, instituição médica paulistana.

Exame e tratamentos cardiovasculares

O que nem todo mundo sabe é como as doenças cardiovasculares costumam ser tratadas. O procedimento mais conhecido é o cateterismo, que é um exame invasivo no qual um cateter é inserido dentro de uma artéria da virilha, punho ou braço, até o coração. O cateter tem o objetivo de liberar contraste por onde passa para que o médico possa localizar as áreas entupidas.

Se no cateterismo for detectada alguma alteração, uma angioplastia pode ser feita como tratamento. A técnica também utiliza cateter e consiste em inserir um balão que “esmaga” a gordura nas paredes da artéria, permitindo a passagem e o fluxo de sangue. Para outros casos de desobstrução das artérias também é possível utilizar o stent, uma liga metálica de níquel e cobalto, que impede a retração do vaso.

“O stent é indicado porque na maioria das vezes a gordura volta a se proliferar igual a um tumor e por conta de uma lei da física de retração elástica. Para evitar essa retração, a angioplastia por balão evoluiu para a angioplastia por stent, uma liga metálica de níquel e cobalto, que impede a retração do vaso”, explica o especialista.

Ainda de acordo com o especialista, quanto mais grave, mais fatores de risco e artérias acometidas o paciente tem. Neste caso, é indicada uma cirurgia aberta, que seria uma ponte de safena ou mamária. “Quanto menos artérias e menos fatores de risco, maior a indicação de angioplastia por stent, que é um procedimento menos complexo”, esclarece Mitri.

O especialista listou algumas curiosidades sobre a técnica de stent para tratamentos cardíacos:

– O stent, assim como a cirurgia cardíaca, tem o objetivo de reestabelecer o fluxo de sangue num local que estava obstruído.

– Entre o diagnóstico, feito pelo cateterismo, e o implante do stent, leva-se cerca de uma hora e meia.

– Após o implante do stent, o paciente precisa ficar de 24 a 48 horas no hospital. Na cirurgia cardíaca, são sete dias de repouso e observação.

– As únicas contraindicações para o implante de stent são em relação ao uso de anticoagulantes e alergia ao contraste. E mesmo assim as contraindicações são relativas.

– Existe um stent gigante de aorta, produzido no Brasil, que é chamado de Anaconda.

<marilia.noar@comuniquese2.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.