Enfermeira-chefe do Banco de Leite do CHC recebe título internacional e contribui para livro científico

Em 05 de dezembro, a enfermeira Maria Celestina Grazziotin, chefe do Banco de Leite do Complexo Hospital de Clínicas da UFPR, conquistou, novamente, o Certificado de Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC, sigla em inglês). Desde 1985, ele é conferido pelo Conselho Internacional de Examinadores de Consultores de Lactação (IBLCE, sigla também em inglês).

O certificado tem uma validade de cinco anos. Ela o mantém desde a sua primeira participação, em 1998 (ano de estreia da prova no Brasil). Para o primeiro exame, foi necessário comprovar mais de mil horas de atendimento, responder um questionário com cem perguntas teóricas e simulações de situações reais, além de analisar 75 fotos e decidir qual era a melhor solução para os problemas. O teste envolve diversas áreas das ciências da saúde e questões de ética e é realizado duas vezes por ano.

“A pessoa que recebe o atendimento de um IBCLC tem a certeza de um atendimento de qualidade certificada”, afirmou Celestina. “Muito me honra ter este título, fruto de meu trabalho, estudo e dedicação. Desta vez, fui liberada de fazer a prova, pois comprovei um currículo rico em cursos como aluna ou instrutora, divulgadora da amamentação e atendimento”.

Quem possui o título se destaca pela experiência e tem crédito para atendimento às mães e aos bebês em fase de amamentação. Atualmente, são 28.105 profissionais certificados distribuídos em 102 países.

Lançamento de obra científica

Celestina participou do lançamento da 4ª edição do livro “Amamentação: Bases científicas”, no dia 24 de Novembro, durante o Encontro Nacional de Amamentação, o ENAM 2016, em Florianópolis. Ela é coautora dos capítulos 23 e 24: “Características Específicas da Lactação em Mães Prematuras” (com Ana Laura Grazziotin) e “Leite Humano Pré-termo” (com Claudia M. D. Moreira). Ambas estão na parte 3, a qual aborda a Prematuridade.

Revista internacional

Para a dissertação de mestrado, Celestina, junto a uma equipe, analisou os efeitos de diferentes modos e tempos de estocagem do leite cru (puro, que não passou por processos químicos) ordenhado de mães com crianças internadas no Serviço de Neonatologia do HC. O artigo sobre esse estudo foi publicado na revista Journal of Human Lactation ( Jornal do Aleitamento Humano), dos Estados Unidos. A enfermeira enfatiza que “as mães devem ser incluídas no dia-a-dia das unidades de Neonatologia”.

 

Caso queira conferir mais informações, acesse os links abaixo:

> Dissertação de mestrado na íntegra.

> Livro “Amamentação: Bases Científicas”.

> Resumo do artigo publicado na revista científica Journal Of Human Lactation (em inglês).

<assmkthc@gmail.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.