Férias: crianças com câncer também podem participar da diversão

Durante o período de férias escolares as crianças costumam ficar mais expostas ao sol, calor e ambientes aquáticos. Esse verão é um dos mais quentes da história com temperaturas até 4º C acima da média e com locais como o Rio de Janeiro, Piauí e Tocantins podendo ultrapassar os 40º C por vários dias seguidos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE), crianças e adolescentes em tratamento oncológico podem ter momentos de lazer mesmo com altas temperaturas, mas precisa tomar certos cuidados, pois estão mais suscetíveis a infecções, o que pode ser potencializado nesse período.

Para a oncologista pediátrica Carla Macedo, membro da SOBOPE, é importante que pacientes em tratamento oncológico evitem locais aglomerados, alimentos com procedência desconhecida, contato com crianças que tenham doenças infecciosas e locais que favoreça o desenvolvimento do mosquito da dengue, além de evitar a exposição solar em excesso porque alguns quimioterápicos provocam sensibilidade na pele e em exposição ao sol podem deixá-la com manchas. Além disso, a fadiga e o cansaço são sintomas que podem estar associados ao tratamento, portanto, é importante que os pais evitem oferecer atividades muito enérgicas ou manter a criança em locais abafados.

Para aproveitar melhor os dias de altas temperaturas, a SOBOPE elenca cinco dicas essenciais para as crianças e adolescentes com câncer em tratamento:

1 – Roupas. Utilizar roupas leves, claras e soltas, isso facilita a transpiração. Vestimentas esportivas é altamente recomendada como camisetas, regatas, shorts e calças de tecidos de algodão e poliéster.

2 – Alimentação. Preferir alimentos ricos em água, como frutas. A ingestão de alimentos crus deve ser evitada, deve-se ferver ou refogar alimentos e depois coloca-los na geladeira, para melhorar a aceitação. Em consequência de alguns sintomas apresentados decorrentes do tratamento como náusea e vômitos, oferecer alimentos gelados e fracionados. É importante higienizar as frutas e legumes de maneira adequada, mergulhando de 15 a 20 minutos em uma vasilha com um litro de água potável e uma colher de sopa de água sanitária ou um litro de água potável para duas colheres de vinagre.

3 – Lembrar-se de ingerir líquidos. Deve-se oferecer com frequência água (filtrada e fervida ou água mineral) ou suco, principalmente nos intervalos entre as refeições.  A sugestão é a ingestão de 1,5 a 2 litros por dia. No preparo dos sucos, as frutas devem ser preferencialmente com cascas íntegras e sem partes estragadas.

4 – Evitar água parada. É necessário evitar tomar banho em piscinas, açudes, lagoas ou praias porque são lugares onde existe uma grande probabilidade de contaminação por meio de agentes infecciosos, pois este tipo de ambiente possui aglomeração de germes e bactérias.

5 – Proteção solar, cuidado com a exposição. Embora os protetores solares sejam essenciais e atualmente são apresentados nas mais diversas formas, eles não protegem completamente a pele e por isso é importante complementar com outras ações. Deve-se aplicar o protetor solar 30 minutos antes de sair ao sol, o fator de proteção deve ser maior do que 30 FPS e ser adequado a cada tipo de pele. Os raios UV são mais prejudiciais ao meio dia. Chapéus e óculos-escuros são ótimas opções.

Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE)

Fundada em 1981, a SOBOPE tem como objetivo disseminar o conhecimento referente ao câncer infantojuvenil e seu tratamento para todas as regiões do País e uniformizar métodos de diagnóstico e tratamento. Atua no desenvolvimento e divulgação de protocolos terapêuticos e na representação dos oncologistas pediátricos brasileiros junto aos órgãos governamentais. Promove o ensino da oncologia pediátrica, visando à divulgação e troca de conhecimento científico da área em âmbito multiprofissional. (anadangelis@rspress.com.br)

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.