Quinta Cítrica encerra o ano com especial feminino

Mulher sabe fazer humor? Essa pergunta, que para muitos pode parecer, por si só, antiquada e sexista, ainda é constante não só entre o público como para os próprios artistas que trabalham nessa área. O machismo do brasileiro também aparece no meio humorístico, por mais que pareça um ambiente descolado. É um mercado dominado por homens e poucas ainda são as mulheres que conseguem alguma projeção.

Em sua última edição deste ano, a Quinta Cítrica, evento dedicado, segundo os organizadores, a “divulgar e criar espaço para novas formas de fazer humor”, traz um elenco exclusivamente feminino. Com perspectivas e histórias muito diversas, essas artistas representam algumas diferentes vertentes do humor curitibano.

Segundo a drag queen Dalvinha Brandão, uma das organizadores, essa configuração aconteceu sem planejamento. “A gente sempre tem bastante mulheres em quase todas as edições. É uma preocupação nossa, principalmente porque geralmente elas trazem pra comédia uma visão de mundo diferente daquela que a gente vê sempre nesse meio. Mas dessa vez a gente foi convidando as pessoas que a gente queria e no final percebemos que só tinha mulher. Achamos ótimo”, conta.

E esclarece “e tem mulher em tempo integral e mulheres temporárias, porque de drag queen tem eu e a Diana Dors, uma das convidadas dessa vez”.

Além de Diana, que mantém o canal Aloka Bee no Youtube, e é conhecida por trazer referências burlescas em suas apresentações, o evento tem também três atrizes que se dedicam à pesquisa da linguagem de palhaço: Patrícia Saravy, que têm investido nesse estudo mais recentemente; Karina Pereira, integrante do grupo Palhaço Gourmet; e Luz Medeiros. O elenco da noite conta também com a participação de Anne Celli, atriz e improvisadora, ex-integrante do grupo de humor Antropofocus; e Jussara Batista, que traz sua já conhecida personagem, a professora de artes Magdalena.

Um lugar para ficar à vontade

O público que frequenta o evento é o mais diversificado possível. Victor Hugo, produtor e organizador da Quinta Cítrica conta que esses perfis vêm mudando gradativamente. “Na primeira edição, eram basicamente só os amigos e as pessoas que já frequentavam os eventos de arte que acontecem no La Bamba. Nas edições seguintes começaram a aparecer muitos casais, pessoas mais velhas, gente bem jovem, convidados de alguns artistas que apareceram em alguma edição anterior e curtiram, acabaram voltando. Vem empresário, artista, estudante, profissionais de várias áreas. Essa diversidade que vem se criando é muito legal tanto para o público quanto para os artistas, que têm a oportunidade de fazer a sua apresentação para pessoas muito diferentes”.

Outro atrativo é o próprio local, que tem um clima ao mesmo tempo de barzinho e quintal de casa, deuixando as pessoas confortáveis para circular, comer, beber, conversar, sair e entrar quando quiserem. Victor conta: “O La Lamba tem o quintal e um outro espaço grande, fechado, que a gente poderia usar, caso chovesse. Até hoje sempre deu certo de não chover. Às vezes a previsão do tempo ameaçava, mas na hora as nuvens sumiam, e sempre conseguimos fazer no quintal. O público fica muito à vontade ali, é um ambiente muito agradável.  Acho que isso tem contribuído muito para que as pessoas sempre tenham vontade de voltar”.

SERVIÇO:

Quinta Cítrica – Especial Meninas

Com: Luz Medeiros, Jussara Batista, Anne Celli, Diana Dors, Karina Pereira, Patrícia Saravy

Apresentação: Dalvinha Brandão
Produção: Victor Hugo

Dia 15 de dezembro.

Abertura da casa: 19h

Início das apresentações: 20h

Entrada: R$15 (valor único)

Espaço Cultural La Bamba

  1. São Pedro, 479 – Cabral, Curitiba

Tel.: 41 3148-0479

Evento no Facebook: http://bit.ly/quintacitrica05

unnamed-2 unnamed-1 downloads

hugogabardo@gmail.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.