Saiba como evitar o enjoo durante as viagens

O ano está acabando: muitos já estão de férias e outros estão na contagem regressiva para o merecido descanso. Aí vem a viagem programada, mas o problema é aquele enjoo que insiste em pegar carona com você. A cinetose, também chamada de enjoo de movimento, caracteriza-se pela sensação de náusea quando andamos em qualquer meio de transporte, alterando o sistema vestibular responsável pelo equilíbrio.

Segundo o otorrinolaringologista Ian Selonke, da Otorrinos Curitiba, a cinetose tem maior probabilidade de ocorrer se fixarmos nossa visão em uma imagem estática como livros, revistas ou smartphones enquanto estamos em movimento. “Isto ocorre porque nessas condições não recebemos informação visual referente ao movimento, assim torna-se conflitante com a percepção de movimento do labirinto”, lembrou.

Os sintomas de náuseas, enjoos e até mesmo vômito são desencadeados pela movimentação, que causa um estímulo exagerado do labirinto, mas alguns dos efeitos podem surgir horas depois da atividade que os desencadeou e serem agravados pela continuidade do movimento.

Como evitar?
Para diminuir as chances de enjoo e náuseas durante as viagens, a dica do especialista é: quando estiver em movimento, tentar fixar a visão no horizonte ou o mais distante possível, olhando para fora do meio de transporte. “Outras orientações são: evitar olhar próximo ou ler quando estiver em movimento. Em viagens de carro mais longas ou principalmente quando temos a movimentação do mar, prefira refeições mais leves e evite bebidas alcoólicas”, resumiu Selonke.

Para pacientes com cinetose, o tratamento deve ser feito com orientação médica, sendo o médico otorrinolaringologista o especialista mais adequado. “O tratamento da causa, seja ela vestibular ou neurológica, muitas vezes necessita de tratamento multidisciplinar. Também há a possibilidade de realizar um tratamento medicamentoso preventivo ao evento, ou seja, para a viagem em questão”, alertou doutor Ian.

A cinetose pode ocorrer em crianças e adultos. Nem todas os pacientes têm esta predisposição, porém todos que a tiverem devem procurar um otorrinolaringologista para avaliação de seu equilíbrio.

Sobre Ian Selonke

Ian Selonke é formado em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com especialização em Otorrinolaringologia pelo Hospital de Caridade da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba (ISCMC) e Fellowship de Cirurgia Otológica e Craniofacial no ISCMC. É Coordenador do Ambulatório de Rinologia e Cirurgia Endoscópica Nasossinusal da Residência em Otorrinolaringologia do Hospital Angelina Caron desde 2006 e Coordenador do Ambulatório de Rinologia e Cirurgia Endoscópica Nasossinusal da Especialização em Otorrinolaringologia do Hospital da Cruz Vermelha desde 2007. Também é Coordenador do Ambulatório de Rinologia e Cirurgia Endoscópica Nasossinusal do Hospital Infantil Pequeno Príncipe.

Sobre a Otorrinos Curitiba

A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 9h às 17h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmerica e Voam.

Serviço:

Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês

Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084

Site: www.otorrinoscuritiba.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.