Cirurgia refrativa: terceira geração

Cerca de 40% da população mundial sofre com problemas de visão relacionados ao grau. Para exercer atividades diárias com mais liberdade, livres de óculos ou lentes de contato, muitas destas pessoas buscam a corrigir as córneas cirurgicamente. Há mais de dez anos, esse tipo de procedimento de correção, opcional para quem tem diagnosticada a miopia, hipermetropia ou astigmatismo, figura entre os mais realizados da medicina moderna.

Atualmente, as técnicas utilizadas são a SMILE, o PRK e o LASIK. No PRK e LASIK o tratamento do grau é realizado com o excimer laser, que remodela a córnea por ação direta, utilizando o mecanismo de ablação (o laser é aplicado na superfície exposta). No PRK, é colocada uma lente de contato especial, que serve como curativo para facilitar a cicatrização da superfície.

Este período inicial é associado a desconforto, sendo a recuperação visual gradual nas primeiras semanas. No LASIK, o laser é aplicado após se levantar uma fina e delicada camada – chamada de “flap’’. O flap pode ser feito por meio de lâmina de microcerátomo ou com o laser de femtossegundo. Após a aplicação do excimer laser, o flap é reposicionado, de modo que o epitélio permanece íntegro.

Já o VisuMax® SMILE (abreviação em inglês para Extração Lenticular com Pequena Incisão), considerada a técnica mais moderna e menos invasiva , utiliza um laser de femtossegundo, que, por ser mais preciso, aprimora a correção refrativa e permite uma recuperação mais veloz.

A cirurgia tem maior exatidão e controle no corte, representando traumas e lesões teciduais menores para a córnea do paciente. O SMILE é realizado em uma única etapa, utilizando apenas um tipo de laser, que é aplicado para criar uma lentícula na parte interna da córnea, juntamente com uma pequena incisão de 2 a 4 milímetros na superfície. Após o tratamento, o cirurgião delicadamente separa a lentícula, que é retirada pela incisão já feita. Com isso, o formato da córnea é alterado, corrigindo o problema.

Estados Unidos – A moderna técnica de cirurgia foi recentemente introduzida nos Estados Unidos. Após resultados positivos identificados via um estudo, o FDA (Food and Drug Administration), órgão responsável pela liberação de novas técnicas e medicamentos no país, aprovou o VisuMax® SMILE.

A técnica já possui registro da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária Brasileira) e marcação do Conselho Europeu. Encontra-se estabelecida em mais de 60 países, dentro de 500 clínicas, em mercados globais como Europa, China, Austrália, Canadá e Índia. O Brasil recebeu seu primeiro VisuMax® em 2012 e, atualmente, 10 centros refrativos já utilizam o equipamento. Mais de meio milhão de procedimentos com a técnica SMILE foram realizados pelo mundo desde a sua introdução. Os resultados comprovaram níveis elevados de segurança, conforto e eficiência.

A aprovação do FDA se deu após um estudo encomendado pela entidade, que entrevistou mais de 300 pacientes que realizaram o procedimento ao longo dos últimos anos, bem como a comunidade mundial de cirurgiões de refração. Os dois públicos compartilharam depoimentos e provas consideradas positivas pelo FDA. Jon D. Dishler, especialista em cirurgia refrativa do Instituto Dishler Laser, no Colorado (EUA), e integrante do Conselho Médico Norte-americano, acredita que o SMILE será uma opção importante para quem tem diagnóstico de miopia e astigmatismo.


Sobre a ZEISS

O Grupo Carl Zeiss AG é hoje um líder mundial de tecnologias altamente inovadoras nas indústrias médica, ótica, mecânica de precisão e sistemas microscópicos de visualização eletrônica. Há mais de 160 anos a ZEISS contribui com o progresso tecnológico mundial ao promover a criação, medição, análise e processamento de dados nas mais diferentes áreas. A companhia está presente em mais de 40 países, com cerca de 40 unidades de produção, mais de 50 centros de assistência e distribuição e quatro centros de pesquisa e desenvolvimento. A multinacional foi fundada em 1846 na cidade de Jena e, atualmente, sua sede fica em Oberkochen, na Alemanha. 

<vitoria.kennedy3@maquina.inf.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.