Plataforma online possibilita ao consumidor encontrar produtos disponíveis nas lojas de rua

Não dá pra negar: a internet é fator decisivo no processo de compra dos consumidores, seja na busca por informações, seja para adquirir os produtos sem sair de casa. De acordo com a 34ª edição do relatório WebShoppers, elaborado pela E-bit/Buscapé, 23,1 milhões de pessoas realizaram pelo menos uma compra pela internet no primeiro semestre de 2016. 
 
Já a pesquisa “O uso do código de barras no Brasil: consumidores e empresas” desenvolvida pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil entre o último trimestre de 2015 e o primeiro trimestre de 2016 fez outra constatação interessante: 87% dos brasileiros entrevistados afirma ter o hábito de usar a internet como meio de compra e somente 9% diz comprar pessoalmente em lojas físicas, sem antes usar a tecnologia. 
 
Fica claro, então, que os lojistas precisam mais do que nunca reforçar sua presença no ambiente digital, certo? Certo. Bom, pelo menos deveria ser assim. No entanto, um levantamento realizado com 327 lojas físicas de variados segmentos de Cascavel (PR) — moda, casa, beleza, saúde, utilidades, alimentação, informática, entre outras — revelou que tem muita gente insistindo em nadar contra a corrente. 
 
Do total de estabelecimentos avaliados, 36,6% não possui site ou e-commerce e 7% não pode ser encontrado sequer no Facebook. Mesmo entre aqueles que têm uma página online, ainda é alto o percentual de sites não responsivos (aqueles que não se adaptam automaticamente à navegação feita em smartphones) e/ou que apresentam conteúdo vago e desatualizado: 24%. 
 
Percebendo este cenário, o empresário Eduardo Serralheiro decidiu investir na criação de uma plataforma online que pudesse aproximar o lojista de rua do consumidor virtual de forma prática e econômica. “O principal objetivo da PayShopp é facilitar o acesso do lojista a esse consumidor que está habituado a pesquisar e até mesmo comprar online, mas que muitas vezes gostaria de ter a oportunidade de ver de perto o produto na loja física também”, explica. 
 
A ferramenta funciona como uma vitrine virtual e oferece três opções para o lojista: o anúncio de 16, 48 ou 96 produtos ou serviços. “Se formos comparar com o custo de mídias tradicionais, o investimento mensal na PayShopp chega a ser mais barato do que uma simples panfletagem, e garante ao comerciante uma presença virtual revertida em vendas que dificilmente o lojistas conseguiriam sem um grande investimento. Além disso, a própria ferramenta realizará campanhas de marketing ao longo do ano para dar mais visibilidade a quem está ali. Um investimento a menos que o lojista precisaria bancar sozinho”, assegura Serralheiro.
 
Diferentemente da linha seguida pelos e-commerces, a PayShopp não realiza vendas online, mas estimula as vendas físicas para valorizar o comércio local. “O cliente encontra o produto na PayShopp, tem ali as informações de contato do lojista como WhatsApp e e-mail, pode fazer uma reserva e ir até a loja retirar o produto. A vantagem para o lojista é que ele estará recebendo em sua loja o cliente acostumado a iniciar o processo de compra pelo ambiente virtual e que provavelmente não tomaria conhecimento da empresa de outra maneira”, explica. 
 
Para o consumidor, as vantagens são a facilidade de encontrar em sua cidade os produtos que deseja fazendo uma busca rápida pelo computador ou smartphone, podendo inclusive comparar os valores, além da possibilidade de deixar o produto reservado para retirar na loja nos próximos dias. “Perceba como é fácil otimizar o tempo do consumidor. Ele faz quase todo o ciclo de compra por ali para só então se dirigir pessoalmente à loja física, economizando tempo e dinheiro, na maior parte das vezes”, reforça o empresário.
 
A plataforma já está no ar e é gratuita para os consumidores. Acesse www.payshopp.com.br e conheça!
contato@contelle.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.