Volta às aulas: o fazer em caso de “dodói”?

Fim das férias! Com a volta à escola, as crianças retornam às atividades externas em grupo, esportes e brincadeiras durante o recreio. Nesses momentos, os pequenos ficam expostos a possíveis arranhões, cortes, machucados e ferimentos, muito comuns nessa fase da vida. Para ajudar a diminuir esses riscos, alguns cuidados precisam ser tomados, como, por exemplo, orientar professores e cuidadores para evitar pequenos acidentes. Além da atenção e dos cuidados básicos dos profissionais da escola no momento de recreação, é bom ficar atento quanto às condições dos brinquedos, higiene dos mesmos e instalação adequada. O ideal é que os pais conheçam o local para avaliar se os brinquedos são adequados à idade da criança e se não estão enferrujados, quebrados ou com superfícies cortantes expostas. Qualquer alteração deve ser reportada ao responsável pela instituição para que as providências sejam tomadas o mais breve possível.

 

Mas, se mesmo com todos os cuidados, um pequeno acidente acontecer? Arranhões e escoriações não são ferimentos graves, mas precisam de certos cuidados para não dar abertura à infecções e aliviar a dor dos pequenos, já que com a perda da epiderme as terminações nervosas ficam expostas. O enfermeiro estomaterapeuta da Vuelo Pharma, Antônio Rangel, explica que é importante ter tranquilidade para que a criança se acalme e permita que as devidas providências sejam tomadas. Antes de iniciar os procedimentos, deve-se higienizar bem as mãos com água e sabão e, na sequência, limpar a ferida – também com água corrente e sabão – até que não haja sinal de sujeira, como terra ou grama. “Mesmo com um pouquinho de choro, é importante que a limpeza seja feita. Isso diminui consideravelmente o risco de infecção, que pode ocorrer devido ao grande número de corpos estranhos presentes no ferimento”, afirma.

 

O próximo passo é cobrir o ferimento com um curativo. Isso ajudará a evitar ressecamento e diminuirá o risco de infecção. “Um curativo bastante eficaz para as pequenas escoriações é a membrana regenera porosa Membracel, que isola os terminais nervosos, diminuindo instantaneamente a dor. Além disso, permanece no leito da lesão de 5 a 7 dias sem a necessidade de troca, promovendo mais conforto e protegendo a região lesionada”, destaca Rangel. Por conter poros, a membrana mantém as condições ideais para regeneração da pele, acelerando o processo cicatricial. “As crianças têm um excelente mecanismo de cicatrização. Tomando os cuidados de limpeza e evitando exposição excessiva ao sol, o ferimento não deixará nenhuma marca na pele”, conclui o enfermeiro.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.