Brasileiros pagaram menos para viajar pelo país em 2016

Mesmo com várias reviravoltas políticas e a instabilidade no preço das moedas no mundo, os viajantes se deram muito bem em 2016, com a média dos preços por noites em hotéis permanecendo as mesmas de 2015, como mostra o último relatório do Hotel Price Index™ (HPI™) da Hoteis.com™.  Em 2016, o número de brasileiros que viajaram ao exterior caiu consideravelmente e houve crescimento na procura por destinos nacionais mais em conta. O estudo mostra que os viajantes pagaram menos* em 23 dos 25 destinos domésticos mais populares em 2016 (média de 3% menos do que em 2015).

Os dados do HPI mostram ainda que, em geral, os viajantes estrangeiros pagaram mais por quartos de hotel do que os hóspedes locais, e os resultados não foram diferentes para o Brasil em 2016. Contudo, a diferença foi modesta, com uma média de R$ 49 extras pagos por noite. A diferença pode ser atribuída a fatores relativos à taxa de câmbio, à categoria e localização dos hotéis que os visitantes tendem a escolher.

O HPI é um relatório anual sobre os preços dos hotéis nos destinos mais frequentados ao redor do globo, monitorando as mudanças nos valores que as pessoas realmente pagam pelas acomodações e fornecendo insights valiosos sobre os motivos por trás dessas mudanças. Os dados são formulados com base nas reservas feitas nas centenas de milhares de estabelecimentos no site da Hoteis.com ao redor do mundo.

Destinos domésticos foram destaques entre os brasileiros
A boa notícia para o turismo nacional é que os viajantes brasileiros pagaram menos em 23 dos 25 destinos domésticos mais populares em 2016, se comparado com 2015. As tarifas permaneceram competitivas em todo o país, visto que apenas três cidades incluídas na lista dos 25 destinos nacionais mais populares registraram uma média superior a R$ 400 por noite. Elas foram Porto de Galinhas, Ipojuca e Gramado.

Superando as expectativas, o Rio de Janeiro recebeu mais de um milhão de visitantes durante os Jogos Olímpicos, no verão, e a ocupação hoteleira foi de mais de 90%durante esse período.  No entanto, as tarifas médias pagas durante o ano como um todo caíram mais de 5%, comparado com 2015.

Apesar dos Jogos Olímpicos terem sido um dos destaques do ano, o turismo brasileiro também sofreu em 2016 devido à grande incerteza política e econômica, aliada à preocupação permanente em torno da disseminação do vírus Zika. Isso levou a uma tendência geral de taxas de ocupação mais baixas fora do período dos Jogos Olímpicos, com a queda das médias de preços na cidade.

As maiores quedas foram observadas em Manaus, Fortaleza e Balneário Camboriú, mas a média de preço mais baixa foi registrada em Belo Horizonte.

Porte Alegre e Maceió foram os únicos destinos com aumentos de preços. No entanto, esses aumentos permaneceram bem abaixo de 5%.

Preço médio pago por noite, em Real, por viajantes brasileiros em destinos selecionados no Brasil em 2016 em relação a 2015

Cidade 2016 2015 % de alteração
BRASIL 281 290 -3%
Porto de Galinhas 432 464 -7%
Ipojuca 429 463 -7%
Gramado 402 422 -5%
Rio de Janeiro 383 412 -7%
Maceió 276 268 3%
Balneário Camboriú 273 302 -10%
Porto Alegre 273 268 2%
Fortaleza 236 267 -12%
Ribeirão Preto 171 180 -5%
Manaus 170 194 -12%
Belo Horizonte 166 178 -7%
Mais informações e o relatório completo em outras moedas está disponível em hpi.hotels.com

*Média de preços paga por noite com impostos e taxas inclusas.

jhernandez@jeffreygroup.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.