Convenção da CVC deve trazer mais visitantes para Foz do Iguaçu

A Convenção Anual de Vendas da CVC, em Foz do Iguaçu, terminou no domingo, dia 19, mas seus resultados serão sentidos ao longo de todo o ano. O evento reuniu representantes das 1.110 franquias da CVC e também de grandes cadeias hoteleiras e das onze companhias aéreas que operam no Brasil, além de delegações estrangeiras. “Foi o maior evento de familiarização turística que já tivemos no Destino Iguaçu”, diz Felipe González, que é o CEO do receptivo oficial da CVC em Foz do Iguaçu.

Tanto González como Altino Voltolini, presidente do Iguassu Convention & Visitors Bureau (ICVB), acreditam que o Destino Iguaçu vai ser diretamente beneficiado por ser sede do evento, considerado “uma conquista da Gestão Integrada do Turismo”. Foz do Iguaçu disputou a convenção com destinos internacionais (Nova York, Disney, Punta Cana e Buenos Aires) e nacionais (Fortaleza, Natal e Recife).

Para o superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla, “a Convenção Nacional de Vendas da CVC foi o evento de negócios do ano novo para o Destino Iguaçu. Esperamos agora resultados imediatos e positivos. Nossa expectativa é aumentar em até 80% as vendas de pacotes turísticos da CVC para Foz”, afirma.

Mais dias
Gonzáles lembra que a CVC trouxe, em 2016, mais de 110 mil passageiros a Foz do Iguaçu, ou quase 10% do total de embarques e desembarques no Aeroporto Internacional. Ele acredita que será possível convencer a operadora a aumentar a estadia, com pacotes de domingo a domingo (atualmente, os pacotes da CVC para Foz do Iguaçu são para períodos de quinta-feira a domingo e de domingo a quinta-feira).

Com o aumento do número de dias no Destino Iguaçu, seria possível oferecer ao visitante outras opções, além das tradicionais, ampliando o alcance para o interior, tanto no lado brasileiro como na Argentina e Paraguai (as Missões Jesuítas, por exemplo).

Voltolini está entusiasmado com as possibilidades abertas pelo evento. O otimismo dele se baseia nas reações das lideranças da CVC com quem teve contato, que manifestaram surpresa com o que encontraram na região de fronteira, tanto nos atrativos como na infraestrutura. “Eu ouvi muito: ‘não sabia que Foz do Iguaçu era tudo isso”; ‘estou surpreso com a qualidade da hotelaria de Foz’”, lembra. E conclui: “Eles ficaram empolgados”.

Conquista
Esta foi a terceira convenção anual da CVC. A primeira foi em 2015, em Atibaia (MG), que não é cidade turística, e a de 2016 na Costa do Sauípe (Bahia). Foi em Sauípe que representantes do ‘trade’ de Foz do Iguaçu perceberam que o evento poderia ser captado por Foz do Iguaçu, como conta Felipe González. E isso foi conseguido com muito esforço da Gestão Integrada do Turismo, que reúne a Itaipu Binacional, o Fundo Iguaçu, o Iguassu Convention & Visitors Bureau e a Secretaria Municipal de Turismo, entre outras entidades.

Depois de garantir a vinda do evento, foi preciso também fazer com que tudo desse certo na recepção e atendimento dos visitantes. Mais uma vez, sucesso. “As lideranças da CVC saíram felizes com a receptividade, o atendimento e também com a forma como foram tratados pelas autoridades iguaçuenses”, afirma González.

A convenção teve início no dia 16, quinta-feira, com solenidade de abertura e recepção aos convidados no Recanto Cataratas Thermas Resort & Convention. A programação foi dividida em dois dias de visitas aos diversos atrativos turísticos da região (quinta e sexta) e dois de convenção no Hotel Rafain Palace (sábado e domingo).

O encerramento foi na usina de Itaipu, com uma festa no Edifício de Carga e Descarga, que incluiu um show da banda Jota Quest.

19-02-17IluminacaoCVC

Fotos: Adenésio Zanella.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.