CRM-PR retira indicativo de interdição do Hospital de Clínicas

No dia de hoje, 27 de março, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Paraná (CRM/PR) retirou o indicativo de interdição médica que foi atribuído às unidades de terapia pediátrica, neonatal e cardíaca do Hospital de Clínicas da UFPR no ano passado.

Wilmar Mendonça Guimarães, presidente do CRM/PR, relatou que devido a nova fase que o HC está passando, em assembleia, foi decidido pela retirada do indicativo feito pelo Conselho. “As causas estão se encaminhando, não havendo mais razão de ter interdição. O Hospital não precisa mais trabalhar com esta espada sobre a cabeça”.

Para a superintendente do Complexo HC (CHC), Claudete Regianni, “essa espada é um complicador também para pacientes e familiares. Desde a gestão anterior e, agora, dando continuidade, com um número de servidores adequados nas UTIs os problemas estão sendo resolvidos”.

A superintendente, ainda, prevê um aumento na contratualização com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba e a chegada de novos trabalhadores via Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) para que haja expansão nos serviços. “Queremos aumentar de 22 para 30 leitos de UTIs e a reabertura de mais 200 leitos de internamento. É um novo hospital”, frisou ela. “Um hospital, dentro de outro hospital reforçou Carlos Roberto Goytacaz Rocha, do departamento de fiscalização do exercício profissional do CRM-PR. Rocha, ainda afirmou que Conselho “está dando um voto de confiança nesta reitoria da UFPR”.

Este indicativo foi realizado pelo Conselho Médico em 07 de junho de 2016, tendo sido prorrogado por mais 60 dias no final de outubro e, somente acabando no dia de hoje. “O CRM pode prorrogar por quantas vezes forem necessárias o indicativo”, afirmou o chefe do departamento fiscal da entidade, Elísio Lopes Rodrigues, que inclusive enfatizou que “os hospitais que realmente foram interditados não voltaram mais às atividades”.

“As coisas são difíceis, mas ficamos otimistas”, ressaltou Rosires Pereira de Andrade, gerente de Ensino e Pesquisa do Complexo HC, em relação a esta retirada do indicativo.

Na época, o HC estava com dificuldades em insumos, equipamentos de ecografias e de pessoal nas UTIs que foram sanados com licitações, aquisições de equipamentos e com a chegada de novos funcionários via Ebserh.

Assim que terminada a reunião, o assessor jurídico do CRM/PR, Martin Palma, imediatamente, já retirou o “Indicativo de Interdição Médica”, documento este que esteve fixado na porta de entrada da instituição.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.