CRP-PR promove em março a Jornada “Mulheres em Ação” com foco em Direitos Humanos

Serão três dias de palestras sobre temas emergentes na sociedade em relação às mulheres, que vão desde autonomia sobre o próprio corpo, cultura do estupro, transexualidade e homossexualidade, relações de trabalho e políticas públicas

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) irá discutir em março, mês da Mulher, diversos assuntos emergentes na sociedade em relação ao feminino. Nos três dias que compõem a Jornada “Mulheres em Ação: Diversidade de Gênero, Violências e Direitos Humanos”, serão debatidos temas relacionados à discriminação de gênero, autonomia sobre o próprio corpo, cultura do estupro, transexualidade, travestilidade, homossexualidade, mulheres nas relações de trabalho, violência de Estado e políticas públicas.

O evento busca abranger todas as mulheres, trazendo à tona temas pouco debatidos pela sociedade. “Buscamos trabalhar com os diversos recortes nos quais as mulheres atuam ou que impactam na vida delas. Queremos mostrar a complexidade e a pluralidade do feminino, abrangendo todas as caras, jeitos e cores das mulheres, e discutindo quem são elas, o que elas fazem, desejam e o que sofrem”, explicou a psicóloga coordenadora da Comissão de Direitos Humanos do CRP-PR, Sandra Fergutz Batista (CRP-PR 08/02667).

A coordenadora do Núcleo de Diversidade de Gênero e Sexualidades (Diverges), da Comissão de Direitos Humanos do CRP-PR, responsável pela organização do evento, Grazielle Tagliamento (CRP-PR 08/17992), afirma que a programação é uma maneira de dar voz a essas mulheres, inúmeras vezes silenciadas e esquecidas pela nossa cultura.

“O principal objetivo da Jornada Mulheres em Ação é ampliar o debate sobre as relações de gênero, buscando a visibilidade das diversas formas de ser mulher, a garantia dos Direitos Humanos e a autonomia das mulheres sobre suas vidas e corpos”, completou. Os três dias do evento estão abertos a participação de psicólogas(os), estudantes e comunidade em geral. O valor é de R$ 25,00 por dia de participação, que pode ser online ou presencial, na sede do CRP-PR, na Avenida São José, 699, no bairro Cristo Rei.

Confira a seguir a programação completa:

08 de março

19h | Vídeo-Debate: “Meu nome é Jacque”

O documentário “Meu nome é Jacque” aborda a diversidade por meio da história de vida de Jacqueline Rocha Cortês, uma mulher transexual brasileira que vive com Aids há mais de 20 anos. Militante pela causa, Jacque tem a vida marcada por lutas e conquistas, chegando a trabalhar como representante do governo brasileiro na Organização das Nações Unidas. Hoje casada e mãe de dois filhos, mora em uma pequena cidade, levando uma vida voltada para a maternidade, a família e a espiritualidade. Ao acompanhar o cotidiano de Jacque hoje e revisitar sua trajetória, este documentário apresenta, pouco a pouco, os inúmeros desafios que foram rompidos por este rico personagem, levantando uma reflexão sobre o preconceito, a LGBTfobia e a essencialização das pessoas e de suas características.

Inscrições: http://bit.ly/2mAuWuw

 

11 de março

09h | Mesa-redonda: Por que debater a questão das Mulheres?

– As mulheres e os Direitos Humanos | Adriana Sales

– Laicidade de Estado e garantia de direitos | Iyagunã Dalzira Aparecida

– Políticas de Mulheres | Andrea Domanico

 

14h | Performance: “A Natureza da Vida” – Maria Fernanda Vilela de Magalhães

 

14h30 | Mesa-redonda: Mulheres e autonomia do corpo

– Legalizar o aborto, direito ao nosso corpo | Carla Regina Françoia

– Violência contra a Mulher e Cultura do estupro | Thayz Conceição Cunha de Athayde

– Autonomia do corpo das mulheres trans | Carla Amaral

Inscrições: http://bit.ly/2mNSzMR

 

25 de março

09h | Mesa-redonda: Mulheres e violência de Estado

– Mulheres e Segurança Pública | Luciana Boiteux de Figueiredo Rodrigues

– Mulheres em Situação de Rua | Maria Lucia Santos Pereira da Silva

– Mulheres e violência de Estado e Memória | Vera Lucia Carneiro Vital Brasil

 

14h | Mesa-redonda: Mulheres e suas representações e identidades

– Mulheres migrantes, refugiadas e apátridas | Gabriela Reyes

– Mulheres LGBT | Jaqueline Gomes de Jesus

– Mulheres e Relações de Trabalho | Evelyn Strauss Fleming

Inscrições: http://bit.ly/2lC2G5R

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.