Descongestionantes nasais devem ser usados com cautela

Quando o nariz entope, muita gente não pensa duas vezes em ir à farmácia e comprar um descongestionante nasal por conta própria, para aliviar o incômodo – achando que usar o produto sem acompanhamento médico não trará problema.
Segundo o otorrinolaringologista do Hospital Nossa Senhora das Graças, Dr. Cristiano Nakagawa, os descongestionantes proporcionam alívio imediato, e assim começa um dos casos mais clássicos de automedicação. “O uso continuado e não orientado por um médico otorrinolaringologista, faz com que o paciente necessite usar a medicação continuamente e cada vez mais frequente para obter um alívio respiratório”, comenta.
O medicamento age fazendo uma vasoconstricção nasal, ou seja, diminui o fluxo sanguíneo dos chamados cornetos nasais, desobstruindo o nariz rapidamente.“O uso de descongestionante nasal é indicado para quadros de resfriado e sinusite aguda em um período não superior a cinco dias”, orienta o otorrinolaringologista. “Para rinite alérgica permanente e rinite, excetuando os casos citados o indicado são os corticóides tópicos nasais”, acrescenta.
Antes de optar pelo uso desses medicamentos, o ideal é que o paciente consulte a opinião de um especialista.

“Somente com avaliação médica adequada é possível definir o melhor tratamento. A causa da obstrução nasal pode ser um desvio de septo, pólipo nasal, entre outros”, destaca Dr. Cristiano.
A otorrinolaringologista também do HNSG, Dra. Eliza Mendes, explica que no caso de pacientes que sofrem com sinusites de repetição é necessário fazer uma investigação detalhada, com exames de tomografia computadorizada de seios paranasais e endoscopia nasal. “É importante também evitar o uso indiscriminado de antibióticos, pois o uso abusivo pode causar resistência bacteriana, dificultando ainda mais o tratamento”, alerta a otorrinolaringologista.
Algumas técnicas simples como – lavar as narinas com soro fisiológico, aumentar a umidade do ambiente deixando bacias com água nos quartos, ajudam aliviar o desconforto sem que seja necessário o uso do medicamento. (imprensa@hnsg.org.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.